Vivemos o tempo da morte da ética?

Os tempos são sombrios para aqueles em quem a sensibilidade é aflorada, uma vez que muitas vezes, qualquer manifestação nesse sentido, é tratada em tempos de redes (anti) sociais como mimimi... enquanto a agressão, nessas mesmas redes, é entendida como “direito de expressão “ , essa é a nova percepção de um grande número de pessoas.
Nos tempos de redes sociais, muitas condenações são feitas sem a mínima checagem e comprovação dos fatos... e não há como corrigir o problema na maioria dos casos em que essa condenação resulta em “pena social" para os condenados que tem suas vidas transformadas de forma violenta e sem defesa.
Analisando esses pontos, vem uma questão, até que ponto podemos dizer que: “vivemos o tempo da morte da ética?”
Quantas pessoas pregam um discurso ético pelas redes e com isso assumem uma posição de liderança, justamente o que buscam, porém, agem de forma totalmente oposta no privado?
Quantos desses que se arvoram em defensores de conduta moral ilibada por parte dos homens públicos, nos bastidores, chantageiam esses mesmos homens públicos em busca de favorecimento pessoal?
E a desonestidade intelectual? Não seria ela uma das maiores manifestações antiética em voga no momento?
O uso de jogo de palavras induzindo a interpretações errôneas e incitando reações de ódio são armas usadas constantemente em busca de mais curtidas.
Hoje, em país que permanece polarizado, isso é cada vez mais utilizado como arma das partes antagônicas. Tem muita gente usando meios que deveriam ser usados para a evolução das relações sociais e também em prol de avanços comunitários, simplesmente para autopromoção e tudo isso com interesses que ficam escancarados para quem tem um mínimo de percepção.
Ate onde se sustentarão essas figuras? A que preço? Esse discurso custará caro para aqueles que compraram essa falácia.
Será cruel a decepção daqueles que tem visto certas figuras como, salvadores da pátria ao perceberem que a única pátria que aqueles discursos acalorados queriam salvar, era a dos seus próprios interesses...
Um país onde ainda há espaço para o sebastianismo, será presa fácil dessas figuras por muito tempo...

Por Mozart Jr

Publicidade