Taxa de incidência do coronavírus cai 32% no estado e regiões Oeste, Sul e Leste avançam para onda verde do Minas Consciente

Triângulo do Norte e Triângulo do Sul regridem para a onda amarela do plano


A taxa que mede a incidência do coronavírus em Minas Gerais caiu 32% nos últimos 14 dias, conforme dados levantados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). A informação foi divulgada nesta quarta-feira (21/10) durante reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo de trabalho e enfrentamento à pandemia.

Diante da melhora, e considerando indicadores como taxa de ocupação de leitos e casos por número de habitantes, o grupo autorizou o avanço das macrorregiões de Saúde OesteSul e Leste para a onda verde do Minas Consciente. Poderão ser reabertos estabelecimentos como parques naturais, de diversão, cinemas, teatros e bares com música com ao vivo, desde que sejam seguidas as regras de higiene, distanciamento e lotação máxima.



Cautela - Já as regiões Triângulo do Norte e Triângulo do Sul apresentaram piora nos indicadores e, para evitar a sobrecarga do sistema de Saúde, o Comitê optou pela regressão para a onda amarela.

O secretário de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral, ressaltou que, apesar de a maioria do território estadual estar em uma condição melhor em relação ao vírus, ainda é preciso ter cuidado para que a doença não volte a ganhar força.

“Com uma flexibilização maior da sociedade, com as pessoas podendo sair para trabalhar e conviver mais próximas, é fundamental que se mantenha o distanciamento e a higienização e que se utilize a máscara. É isso que vai garantir que nós, a cada dia, venhamos a progredir para a onda verde e retornar com segurança ao novo normal”, disse.




Adesão

Até esta quarta-feira, 656 cidades mineiras aderiram ao plano Minas Consciente, o que representa 76% dos municípios. O impacto chega a 13,4 milhões de pessoas.


Onda verde


As macrorregiões OesteSul e Leste apresentaram um quadro controlado da doença após passar 28 dias na onda amarela*, permitindo o avanço para a onda verde, que possibilita a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. Sudeste, NoroesteCentro, NorteJequitinhonha e Centro-Sul já estavam na fase mais avançada do plano. Por apresentarem índices controlados, foram mantidas nesta etapa. Veja abaixo as atividades permitidas:

- Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos;
- Parques, zoológicos e jardins;
- Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;
- Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;
- Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;
- Bares com entretenimento (shows e espetáculos);
- Serviços de colocação de piercings e tatuagens.

Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.


Onda Amarela

data:image/gif;base64,R0lGODlhAQABAPABAP///wAAACH5BAEKAAAALAAAAAABAAEAAAICRAEAOw==
As macrorregiões de Saúde Triângulo do Norte e Triângulo do Sul tiveram piora nos índices e por isso regrediram para a onda amarela, se unindo às macrorregiões Leste do SulVale do Aço e Nordeste. Nesta fase, são permitidos:

- Bares (consumo no local);
- Autoescolas e cursos de pilotagem;
- Salões de beleza e atividades de estética;
- Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;
- Papelarias, lojas de livros, discos e revistas;
- Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;
- Comércio de itens de cama, mesa e banho;
- Lojas de móveis e lustres;
- Imobiliárias;
- Lojas de departamento e duty free;
- Lojas de brinquedos;
- Academias (com restrições);
- Agências de viagem;
- Clubes.

 

Onda Vermelha

Atualmente, nenhuma macrorregião de Saúde se encontra na onda vermelha do Minas Consciente, quando só são autorizados serviços essenciais, como supermercados e farmácias.

Publicidade

Anuncie