Setembro Amarelo: mês de valorização da vida

Entenda a campanha que pode salvar a vida de milhares de pessoas todos os anos

 

O mês de Setembro é reconhecido como o da conscientização e prevenção ao suicídio, sendo representado pela cor amarela. Conforme repassado à Folha Uberaba, a campanha, bem como o apoio e assistência às pessoas, acontece durante todo o ano, mas o mês é destaque para a conscientização, aliado ao dia 10 de setembro, conhecido como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

De acordo com a Dra. Ivana Teles, psicóloga integrante do Sistema Hapvida, “essa campanha tem como objetivo falar da importância da saúde mental na nossa vida e os impactos quando ignoramos. Também vem trazendo a importância de falar sobre a prevenção ao suicídio e como lidar com esse contexto de forma sensível, delicada e acolhedora”.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio tira a vida de cerca de 800 mil pessoas por ano em todo o mundo, sendo a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, atrás apenas dos acidentes de trânsito. O diagnóstico das doenças relacionadas deve ser feito por um profissional especializado, mas, de acordo com o psiquiatra Rodrigo Assunção, integrante do Sistema Hapvida, é possível identificar alguns indícios desse problema, o que chama a atenção para a busca do atendimento. O psiquiatra afirma que “as características de um paciente que está numa crise suicida são clássicas. Claro que existem exceções, mas geralmente são pacientes que apresentam algum quadro de depressão ou alteração de humor”. Todos esses quadros são diagnosticados quando o paciente apresenta sintomas comuns dessas anomalias.

Com relação ao papel das pessoas próximas e familiares, os profissionais não hesitam em destacar a importância do apoio emocional. O neuropsicólogo Carol Costa Júnior, integrante do Sistema Hapvida, destaca que, com quadros agravados por conta da pandemia, o apoio durante o período é essencial. Ele reforça que “é justamente em momentos difíceis que percebemos quando precisamos do outro, não só pela situação que estamos passando, que é bem difícil, mas também pelas perdas que estão se somando. As pessoas estão preocupadas, com medo, entristecidas, melancólicas, depressivas. Precisamos do outro, somos seres coletivos e precisamos fazer parte de algo maior”.

A psicóloga Ivana Teles destaca ainda a importância de se manter uma rotina saudável a fim de evitar possíveis transtornos relacionados aos quadros depressivos. De acordo com a especialista, existem outros meios que acabam facilitando o autocuidado, mas que muitas vezes são deixados de lado, como os momentos de lazer, relaxamento, atividade física e tudo aquilo que faz sentido a todos nós. “Todos os profissionais concordam que o apoio, associado a um estilo de vida sadio, são ótimas ferramentas para reduzir a possibilidade do quadro apresentado”.

 

Sobre o Sistema Hapvida - Com cerca de 6,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como o maior sistema de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do Grupo São Francisco e RN Saúde, além da operadora Hapvida. Atua com mais de 30 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 40 hospitais, 184 clínicas médicas, 41 prontos atendimentos, 174 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Publicidade

Anuncie