Setembro Amarelo atinge quase nove mil atendimentos nas primeiras semanas do mês

As ações de orientação e prevenção em saúde mental nas Unidades Básicas de Saúde em celebração ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, já alcançam 8.748 atendimentos nas duas primeiras semanas do mês. As informações são da Diretoria de Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde.

No Serviço Intermediário de Atenção Psicossocial (SIAP), 948 atendimentos já foram realizados. Já nos quatro  CAPS do município - CAPS Infantil/CRIA, CAPS Inácio Ferreira, CAPS Maria Boneca e CAPS AD – a soma alcança 2.400 atendimentos. As seis unidades de Atenção Básica, por meio dos Núcleos de Apoio à Saúde da Familia (NASFs), somam nas duas primeiras semanas 5.400 pacientes atendidos, uma média semanal de 450 pacientes por NASF.

O neuropsicólogo e diretor de Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde, Sérgio Henrique Marçal, é um dos palestrantes da ação do Setembro Amarelo promovida pela Secretaria de Administração nesta sexta-feira, dia 13, a partir das 15 horas no anfiteatro da Prefeitura. A iniciativa é da Comissão Multidisciplinar de Atenção a Saúde do Servidor (COMASS) e o público-alvo são os servidores municipais.

“Vamos iniciar uma conversa junto aos servidores sobre a importância do cuidado em saúde mental. É um foco em sensibilização para o cuidado em saúde mental e prevenção ao suicídio, pegando o gancho do Setembro Amarelo para quebrar tabus e estigmas. Assim como a gente cuida da saúde do homem e da mulher, também cuidamos da saúde mental como qualquer outra demanda de saúde. Vamos também apresentar a rede do Município, que são serviços de porta aberta, ou seja, que não precisam de encaminhamento, não há fila de espera, basta procurar a unidade, qualquer um dos CAPS, o SIAP ou as Unidades Básicas de Saúde”, explica Marçal.
Além da palestra “Prevenção ao Suicídio” com o neuropsicólogo, a ação do Setembro Amarelo para os servidores do Município também contará com a palestra “Falando sobre o Suicídio – Uma luz no fim do túnel”, com a psicóloga e formanda em neuropsicologia Ellen de Sousa Ferreira.

Publicidade