Segunda etapa do mutirão de castração acontece neste domingo

Acontece neste domingo (14) o segundo mutirão de castração realizado pela Secretaria Municipal de Saúde por meio do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias. Os procedimentos serão realizados no Hospital Veterinário a partir das 8 horas seguindo a agenda de animais, formatada de acordo com o cadastro realizado de fevereiro a abril. De acordo com a chefe do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias, Lara Rocha Batista, todos os animais passaram por exames prévios de hemograma para atestar as condições para a realização do processo cirúrgico.

Diversos tutores foram contatados, porém nem todos participarão do processo, conforme a relação de deferimento repassado pelo departamento de Controle de Zoonozes e Endemias. “Foram feitos centenas de tentativas de contatos telefônicos cadastrados, dos quais diversos estavam desligados ou não atenderam as ligações. Muitos números também foram cadastrados com erros”, diz Lara.

Ela explica ainda que foram selecionados para a realização dos exames, 294 fêmeas, dessas 185, ou seja, 62,9% compareceram ao Hospital Veterinário e realizaram o hemograma, que é obrigatório para a realização do procedimento.

“Isso significa que 37% dos proprietários que confirmaram o exame não levaram seus animais. Dos realizados, 18 apresentaram alterações significativas no exame e por isso não foram inseridos. Tivemos três desistências, o que totalizou 164 animais aptos a participarem da ação deste domingo”, declarou a chefe do Departamento de Zoonose e Endemias.

Orientação – Lara Rocha alerta a população que queira participar do programa nas próximas edições. Segundo ela, a população precisa cadastrar somente aqueles animais que de fato forem castrar. “Só confirmem quem realmente for levar o animal no dia do exame e, posteriormente no procedimento cirúrgico. Caso a pessoa não tenha disponibilidade ou interesse na castração, não leve o animal para o exame”, orienta.

Ela reforça que no dia da castração, as cadelas deverão estar em jejum de oito horas e, no caso de filhotes, quatro horas de jejum são suficientes. No caso de felinos (gatas), o jejum é de 6 horas.

“Os animais deverão ser banhados dois dias antes do procedimento. E, preferencialmente com os pêlos tosquiados. É importante que todos estejam com a vacinação em dia e, por conta do grande número de animais que estarão no mesmo recinto, é proibido levá-los sem proteção”, informa Lara. No pós-operatório – lembra - os custos são de responsabilidade dos tutores.  

Publicidade