Programa Criança Feliz realizou quase setenta mil visitas desde a sua implantação

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) divulgou nesta semana o balanço das visitas realizadas pelo ‘Criança Feliz’ desde fevereiro de 2018 quando a gestão do Prefeito Paulo Piau implantou, com o apoio do Ministério da Cidadania. De acordo com informações da Secretaria foram realizadas sessenta e sete mil e duzentas visitas neste período. Atualmente são atendidas setecentas e duas crianças com idade entre zero e três anos.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Social (Seds) Marco Túlio Cury, o programa tem como objetivo apoiar e acompanhar o desenvolvimento infantil integral na primeira infância e facilitar o acesso da gestante e da família, às políticas e aos serviços públicos que necessitam e vem se destacando pelo desempenho apresentado até hoje. “Pela excelência do trabalho realizado recebemos no ano passado uma premiação do Estado por colocarmos Uberaba entre os sete municípios com o melhor desempenho de Minas Gerais”, comemora Cury.

O secretário informa que estão sendo programadas para a próxima semana visitas in loco aos pontos de atendimentos que dão suporte ao ‘Criança Feliz’ para que ele possa ver de perto como o programa se encontra. “Com certeza o programa é um sucesso e quero, a partir dessas visitas, planejar ações juntamente com a equipe para que mais crianças possam ser atendidas”, declara. O atendimento prevê visitas às gestantes, crianças de até três anos e suas famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, além de crianças de até seis anos beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada e suas famílias.

A chefe do Departamento de Proteção Social Básica da Seds, Gabrielle Palvas, explica que as equipes do Criança Feliz fazem o acompanhamento e dão orientações importantes para fortalecer os vínculos familiares e comunitários e estimular o desenvolvimento infantil por meio de visitas domiciliares às famílias participantes do Programa Bolsa Família. “Para participar do programa, é preciso manter atualizados os dados no Cadastro Único, principalmente quando há grávidas e crianças de até três anos na família”, informa Gabrielle.

Publicidade