PCMG, PCGO e PRF prendem dez pessoas por desvio de cargas

Foram deflagradas, na terça (16) e nesta quarta-feira (17), as operações "De Grão em Grão" (2ª fase) e "Passolongo" pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) com a Polícia Civil de Goiás (PCGO) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Conforme repassado à Folha Uberaba, o resultado inclui a prisão de dez suspeitos de integrarem organizações criminosas especializadas em desvio de cargas em todo território nacional. A maior parte dos investigados foi localizada no Triângulo Mineiro.

 

Também foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Minas Gerais, Goiás e São Paulo, resultando na arrecadação de quatro veículos de carga, quatro carros e duas armas de fogo. As operações são resultado da união de esforços das Forças de Segurança, que, por meio de compartilhamento de informações, identificaram o esquema criminoso, possibilitando a tomada de medidas para reprimir essa prática.

 

As investigações apontam que, apenas nos últimos dez meses, essas organizações criminosas seriam responsáveis por mais de 100 desvios de cargas pelo país, em especial no Triângulo Mineiro e regiões adjacentes nos estados de São Paulo e Goiás. Desses desvios, mais de 60 foram de grãos, com grande impacto no agronegócio mineiro. O prejuízo estimado com a ação dos grupos ultrapassa R$15 milhões.

 

Modo de atuação - De acordo com o Delegado Marcos Pimenta, titular da Delegacia Regional em Passos, a ação criminosa ocorrida da seguinte forma: um motorista, que fazia parte da organização, era contratado pela vítima para realizar o frete da carga. Em certo ponto da rota, outro motorista, também pertencente ao grupo, trocava de lugar com o primeiro e a carga era desviada e entregue ao receptador.

 

Após o carregamento ser entregue com segurança ao receptador, o motorista contratado pela vítima se dirigia a uma unidade policial e registrava a ocorrência de roubo da carga. “Na maioria dos casos, as ocorrências eram lavradas em Estados da Federação diversos do local de embarque e/ou destino, a fim de dificultar as investigações”, assinala Pimenta.

 

O Delegado Márcio Nabak, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio, os motoristas chegavam a se apresentar como vítimas. “Mas, com a investigação, foi verificado que estes ajudavam na ocorrência do crime, portanto, faziam parte da organização criminosa”, observa. Ele ressalta que outras operações serão realizadas: “e a nossa ação, como sempre foi, será muito contundente”.

 

Trabalho investigativo - As primeiras prisões ocorreram na deflagração da operação "De Grão em Grão" (1ª fase) após embarque de 30 toneladas de soja na cidade de Delfinópolis, no Sul de Minas, sendo que o destino do produto deveria ser a cidade de Guarujá (SP). Nessa ação a PCMG acompanhou todo o trajeto e descobriu que a carga havia sido desviada para um silo na cidade de Bambuí, Centro-Oeste mineiro, o que possibilitou a prisão em flagrante de um empresário e de um motorista.

 

Reunidas as informações já existentes com as angariadas, foram identificados diversos indivíduos que faziam parte de organizações criminosas distintas, cujos núcleos coordenadores ocorriam em Uberaba e Uberlândia e agiam em todo o país. “Estima-se que com essas operações iremos evitar um grande prejuízo para o setor de transporte de cargas, principalmente para a região do Triângulo Mineiro”, pontua o Delegado Marcos Tadeu Brandão, chefe do 9º Departamento de Polícia Civil em Uberlândia.

 

As investigações indicam, ainda, que a maioria dos motoristas era oriunda da região do Triângulo Mineiro. Mas foram constatadas participações de motoristas dos estados do Mato Grosso, Paraná, Tocantins e Pará. Dentre os receptadores chamou atenção os atuantes na região de Bambuí (MG) e Formiga (MG), já que seriam responsáveis por receberem a maioria das cargas de grãos desviadas.

 

Integração - As investigações ocorreram de forma conjunta entre as Delegacias Especializadas em Investigação de Furto, Roubo e Desvio de Cargas da PCMG e da PCGO, as Delegacias Regionais em Passos e Formiga, os Departamentos de Polícia Civil em Uberaba e Uberlândia, além da Polícia Rodoviária Federal. Nessas operações, houve, ainda, o apoio da Polícia Civil de São Paulo. No total, quase 190 policiais colaboraram nos trabalhos da “De Grão em Grão” (fase 2) e “Passolongo”.

Publicidade

Anuncie