O jovem precisa ocupar seu lugar na política

Por Patrícia Melo

O tema da Organização das Nações Unidas para celebrar o Dia Internacional da Juventude este ano não poderia ser mais oportuno: o compromisso do jovem com a ação global. É um assunto urgente. O Brasil tem hoje 150 milhões de eleitores, dos quais 35% têm até 34 anos de idade. Em Uberaba, são 32%. Até os 24 anos, são cerca de 14%. Apesar de os jovens serem um terço do eleitorado, a média de idade dos atuais prefeitos do país é de 48 anos.

Em outras palavras, o jovem ainda tem muito pouca participação nos órgãos de poder e a consequência direta disso é a falta de políticas públicas municipais que contemplem problemas específicos, como formação superior, inserção no mercado de trabalho e o combate à violência.

Isso precisa acabar, não só pela necessidade de renovação em uma sociedade que muda cada vez mais rápido, mas para termos novas ideias e práticas. A juventude tem muito a oferecer, tem a capacidade administrativa, o conhecimento técnico, a sensibilidade de olhar para as questões de seus iguais e, sobretudo, a coragem e a ousadia. O jovem não tem medo de fazer o que é preciso, de se colocar a serviço de uma sociedade mais justa.

Mas só quando ocupar os lugares de fala na política é que a juventude será ouvida. Para isso, deve se sentir representada e se fazer representar. Precisamos de prefeitos e vereadores que tragam essa renovação. Este é um dos motivos que me estimularam a me apresentar como pré-candidata à prefeitura de Uberaba.

Aprendi desde cedo que somente com a participação na política seria possível transformar a realidade das mulheres, dos jovens e dos desassistidos na comunidade rural em que cresci. Aos 12 anos, estava engajada em movimentos de base vinculados à Igreja, à cidadania e ao Partido dos Trabalhadores. Aos 19, como estudante de direito em Uberaba, segui erguendo a bandeira da juventude. Fui secretária-executiva dos Fóruns Regionais de Governo no Triângulo Sul e, em 2018, fui a mais votada no país entre jovens candidatas do partido a deputado estadual.

No caso de Uberaba, essa representação juvenil virá pelo Orçamento Participativo, com o fortalecimento de um Conselho Municipal da Juventude. A proposta é apoiar a criação de grêmios estudantis e por região, organizar congressos e eleger um conselho gestor da educação com o voto dos alunos. Vamos ouvir as demandas dos jovens e construir um governo coletivo.

Entre as questões urgentes para Uberaba estão a redução da evasão escolar e o estímulo à capacitação técnica, ao ensino superior e ao primeiro emprego. Falo de ações concretas: construir moradias estudantis para jovens universitários e criar cursos técnicos profissionalizantes voltados para a vocação econômica local, como a pecuária e o agronegócio.

Vale lembrar a atenção dedicada pelo Partido dos Trabalhadores ao tema, com destaque para o Movimento Representa (www.movimentorepresenta.org), criado para fortalecer as candidaturas de jovens a vereadores e prefeitos. Este ano, o PT vai destinar 3% do Fundo Eleitoral a candidatos com até 29 anos de idade. Já são 3.291 pré-candidatos inscritos no país.

É essa turma que vai lutar pela manutenção de conquistas históricas do PT, como o Programa Universidade para Todos (Prouni) o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e a política de cotas para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Até 2016, foram 5.048 estudantes uberabenses beneficiados pelo Prouni e 5.296 pelo Fies. Desde então, o número de bolsas integrais do Prouni caiu pela metade no país.

Por isso, hoje, Dia Internacional da Juventude, convoco a todos os jovens de Uberaba e do país a tomarem para si esta missão. Vamos juntos, com coragem e ousadia, ocupar nosso lugar na política nacional.

* Patrícia Melo é pré-candidata a prefeita de Uberaba pelo PT.

Publicidade