Minas Gerais teve o segundo pior saldo de empregos do país

Em abril, indústria da transformação, comércio e reparação de serviços automotores e motocicletas foram os segmentos no estado que registraram os piores saldos de empregos

 

As empresas mineiras geraram o segundo menor saldo de emprego do Brasil (-88 mil vagas) no mês de abril. Conforme informado à Folha Uberaba, o resultado entre o número de demissões e contratações só não foi pior que o estado de São Paulo, que teve o saldo quase três vezes pior, -264 mil postos de trabalho. É o que aponta o levantamento feito pelo Sebrae Minas, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

 

De acordo com o estudo, as empresas mineiras foram responsáveis por 10% do saldo negativo do país, em abril, que chegou a -860,5 mil empregos. “Minas Gerais seguiu a tendência da maior parte dos estados que também registraram um grande número de demissões provocadas, principalmente, pelo fechamento temporário das empresas devido ao coronavírus (Covid-19)”, justifica o gerente do Sebrae Minas, Felipe Brandão.

 

No mês, o único setor que registrou saldo de emprego positivo no estado foi a agricultura (706 vagas). Já os segmentos que demitiram mais que contrataram foram: indústria da transformação (-23 mil vagas), comércio e reparação de serviços automotores e motocicletas (-22,9 mil vagas), informações, comunicação e atividades financeiras e imobiliárias (-11,2 mil vagas) e alojamento e alimentação (-11 mil vagas).

 

Outras atividades que também ficaram com saldo negativo no mês foram construção (-8,9 mil vagas), transporte, armazenagem e correio (-4,3 mil vagas), administração pública, defesa e seguridade social, educação e saúde humana (-3,6 mil vagas), outros serviços (-3,4 mil vagas), outras indústrias (-457 vagas) e serviços domésticos (15 vagas) também ficaram com o saldo negativo. “As atividades com os piores resultados foram as mais impactadas pela pandemia e que, em muitos estados, ainda não voltaram a suas atividades”, explica o gerente do Sebrae Minas.

 

Já as cinco cidades com os mais baixos saldos de emprego no mês no estado foram: Belo Horizonte (-20,9 mil vagas), Nova Serrana (-3,8 mil vagas), Uberlândia (-3,7 mil vagas), Contagem (-3,1 mil vagas), Juiz de Fora (- 3 mil vagas). Por outro lado, Paracatu (815 vagas), Monte Belo (360  vagas), João Pinheiro (186 vagas), Frutal (177 vagas) e Nova Ponte (166 vagas) foram os municípios mineiros que registraram os melhores saldos no estado.

 

Já no somatório dos quatro primeiros meses de 2020, Minas Gerais acumula um saldo de empregos de -79.746 vagas.  “O resultado só não é pior porque nos meses de janeiro e fevereiro o estado registrou saldos positivos de emprego que chegaram a mais de 24 mil postos de trabalho”, afirma Brandão.

Publicidade