Maio Roxo alerta para doenças inflamatórias intestinais

Associação Médica de Minas Gerais ilumina sua sede. Junto à Sociedade Mineira de Coloproctologia abraça movimento

No mês de maio, a Sociedade Mineira de Coloproctologia participa da campanha Maio Roxo. O objetivo é conscientizar as pessoas sobre as doenças inflamatórias intestinais (DIIs), como a retocolite ulcerativa e a doença de Crohn. A Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) ilumina sua sede de roxo e, junto à Sociedade Mineira de Coloproctologia (SMCP), chama atenção para os cuidados e tratamentos destas doenças. No decorrer do mês serão realizadas lives no Instagram, perfil @smcprocto, com especialistas onde será possível tirar dúvidas ao vivo.

 

Segundo o presidente da SMCP, Bruno Giusti Werneck Côrtes, as doenças inflamatórias intestinais causam quadros de inflamação no sistema digestivo podendo causar diarreias, sangramentos e complicações gastrointestinais como obstrução, fístulas e até câncer. Não têm cura, mas têm tratamento.

 

Giusti explica que a doença de Crohn, a mais comum entre as DIIs, é uma inflamação que pode se manifestar em qualquer parte do tubo digestivo - que vai da boca até o ânus. A doença não é contagiosa, surge tanto em adultos como em crianças. Também é cientificamente comprovado que fatores como o tabagismo, maus hábitos alimentares e contato com certos tipos de vírus e bactérias podem alterar a evolução da enfermidade.

 

Ao contrário da doença de Crohn, a retocolite ulcerativa apresenta inflamação quase que exclusivamente a mucosa do intestino grosso e é mais frequente em pacientes mais velhos. Geralmente, o diagnóstico das enfermidades é realizado por meio de exames laboratoriais, radiológicos, colonoscopia e biópsia do intestino. “Ambas podem ser tratadas por meio do uso de medicações orais e injetáveis e, em casos mais graves, pode ser indicada a cirurgia.

 

Ainda sem causa comprovada, as doenças inflamatórias intestinais (DIIs) podem estar ligadas a fatores hereditários e imunológicos, podendo ser agravadas pelos hábitos de vida. Atingem ambos os sexos indistintamente e o diagnóstico acontece geralmente por volta da terceira década de vida. As DIIs acometem principalmente jovens, em plena atividade, limitando temporária ou definitivamente suas ocupações habituais, influenciando o comportamento na escola, no trabalho, no relacionamento social e familiar, na autoimagem e na atividade sexual.

 

Sintomas mais comuns:

  • Diarreia com ou sem a presença de muco ou sangue
  • Dor no abdômen
  • Perda de peso e febre
  • Surgimento de feridas e inflamações na região do ânus
  • Inflamações na boca (conhecidas clinicamente como estomatites)
  • Cólicas
  • Dificuldade para eliminação de gases intestinais

Publicidade

Anuncie