Falta de cuidados bucais pode levar a doenças graves, como AVC e infarto

Dia Nacional da Saúde Bucal alerta para necessidade de higiene adequada de uma área tão importante para o corpo

Passar fio dental diariamente, escovar os dentes ao menos três vezes ao dia e visitar o dentista frequentemente são regras que nos acostumamos a ouvir para prevenção de problemas como cáries e mau hálito. Porém, estudos comprovaram que uma saúde bucal inadequada pode render doenças bem mais graves, que vão muito além da boca do paciente.

Por mais que pareça estranho, a falta de cuidado com os dentes pode ocasionar enfermidades como infarto e AVC, bem como piora nas taxas glicêmicas de pacientes diabéticos. No caso do infarto e do AVC, as bactérias e outros germes podem sair da boca do paciente e percorrer o corpo através da corrente sanguínea. Caso cheguem ao coração ou ao cérebro, os danos podem ser fatais. No caso de pacientes diabéticos, a doença periodontal dificulta a absorção de insulina, podendo causar uma descompensação glicêmica no paciente diabético.

De acordo com dados da Universidade Nacional de Seul, na Coreia do Sul, escovar os dentes diariamente reduz em até 9% os riscos de doenças cardiovasculares. Visitas regulares ao dentista – ao menos uma vez por ano – ampliam esse número para 14%. São essas e outras informações que o Dia Nacional da Saúde Bucal, celebrado anualmente em 25 de outubro, quer ajudar a disseminar.

“A saúde começa pela boca. Se a pessoa não tiver todos os dentes, por exemplo, vai mastigar mal, ter menos aproveitamento nutricional, estar mais propenso a problemas digestivos. Pode vir a ter problemas na articulação da mandíbula. Além disso, uma pessoa que tem a boca ou os dentes infeccionados pode inclusive ter problema de coração”, explica Fábio Iwai, diretor das clínicas odontológicas da Care Plus.

Maior operadora de saúde premium do Brasil, a Care Plus sabe desse cenário e, por isso, investiu na abertura de clínicas odontológicas. Já são cinco anos de funcionamento das unidades – duas em São Paulo e uma no Rio de Janeiro –, que atendem cerca de três mil pacientes por mês. E a empresa garante ter “planos superagressivos” de ampliação para o futuro.

“Temos um corpo clínico de cerca de 50 dentistas qualificados, especialistas nas áreas em que atuam. Também temos os melhores equipamentos que existem no mercado”, garante Fábio Iwai. “Entregamos os melhores níveis de qualidade para o paciente. Estamos, tranquilamente, entre as melhores clínicas do Brasil em termos de qualidade e de segurança.”

Publicidade