Estádio Municipal passa por reformas

Com o objetivo de oferecer maior comodidade a torcedores e atletas, principalmente, o Estádio Municipal Engenheiro João Guido (Uberabão) vem passando por reformas e as principais são no gramado, onde requer trabalho especializado, tendo vindo de Belo Horizonte Adelmo Miranda e equipe. Ele é consultor de gramados, trabalha nos centros de treinamentos do Cruzeiro e fez todo o plantio da Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, que foi muito utilizado na época da reforma do Mineirão para a Copa do Mundo. Visando a garantir mais conforto ao torcedor, serão colocadas novas cadeiras, além de resinação e pintura das já existentes. Eram 3,7 mil e agora já são 4 mil assentos.

Para o chefe da autarquia do estádio Diron Francisco Nunes, o trabalho com as cadeiras vem desde o final do ano passado e é mais demorado. “A colocação de mais cadeiras e a pintura de todas exige muita paciência, pois tem que retirar e passar uma resina em cada uma manualmente para depois pintar. Já o gramado começou na sexta-feira (10) e já devemos terminar no final dessa segunda-feira (13), mas temos que dar manutenção durante todo o período de uso durante o ano”, explicou Diron.

O consultor de gramados, Adelmo Miranda explicou qual o trabalho exigido para que o campo de jogo fique em boas condições até o fim da temporada. “Primeiro a gente faz uma poda bem baixa, quase a zero, depois o rastelamento. Em seguida a gente usa uma máquina para fazer o Vertcult, que é o corte vertical e novo rastelamento. Depois é feita a adubação e durante todo o ano tem que ser dada manutenção nesse trabalho para que o gramado não embole, o que prejudica, em muito, a aeração e desenvolvimento da grama”, afirmou Adelmo.

O presidente da Fundação Municipal de Esporte e Lazer (Funel), Luiz Alberto Medina reafirma a necessidade desse trabalho no gramado. “Todo ano é fundamental que façamos isso para dar saúde e força ao gramado, pois o nosso estádio é muito usado, ao contrário da maioria pelo País. Já no nosso caso, várias categorias e competições são realizadas durante a temporada. Por isso tanto trabalho, mas no fim é prazeroso”, concluiu Luiz Medina.

Publicidade