Entrevista exclusiva com Secretário de Saúde Iraci Neto

Em entrevista exclusiva à Folha Uberaba, o secretário de saúde Iraci Neto falou sobre o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro transmitido em cadeia nacional nesta terça feira, 24.

Após a polêmica criada em torno do discurso do presidente Jair Bolsonaro, que, contrariando recomendações da OMS e inclusive do seu próprio ministro da saúde, disse que deve-se acabar com o isolamento e preservar apenas as pessoas de grupo de risco, colocando novamente que a Covid-19 é uma “gripezinha”, a Folha Uberaba ouviu o secretário municipal de saúde Iraci Neto.

 

Folha Uberaba -  Como o Senhor viu o pronunciamento oficial do presidente da república nesta terça feira, 24, em rede nacional?
Secretário Iraci Neto: Com verdadeiro espanto, assustado mesmo com as palavras do comandante do país, uma vez que o ministério da saúde tem trabalhado com os casos confirmados e óbitos, porem os estados trabalham com os casos suspeitos e só em Minas Gerias, esse número já atingiu 12 mil casos em investigação e 130 casos confirmados, em São Paulo esse número pode ser quadruplicado, e isso se repete em outros estados, são mais de 100 mil casos suspeitos no país.

A condução do ministro da saúde, tem sido tecnicamente exemplar e totalmente oposta ao discurso do mandatário do país.

O presidente está fazendo o oposto ao preconizado pelo ministro, não é hora de fazer política, populismo ou tentar puxar apoios para o lado de ninguém, é hora de tomar medidas que visem a segurança de todos e a preservação das vidas.

 

Folha Uberaba - A que você atribui esse discurso do presidente?
Secretário:
O que o presidente está fazendo, é uma transferência de responsabilidade para governadores e prefeitos, sendo que a maior responsabilização está sendo jogada para os municípios, as medidas tomadas no município, seguem as diretrizes da OMS e do ministério da saúde, porém, respeitando as particularidades de Uberaba.

As barreiras sanitárias criadas, que são educativas e preventivas e foram fechadas entre os estados buscam diminuir a circulação das pessoas e com isso impedir o avanço da doença.

 

Folha Uberaba - Como Uberaba tem lidado com essa crise?
Secretário:
É importante ter serenidade nesse momento de crise, principalmente da parte de quem está conduzindo o processo, o prefeito Paulo Piau tem conduzido o grupo estratégico de forma acertada e nós da secretaria de saúde, através do comitê técnico, temos tratado do assunto através de informações reais e apresentado dados baseados nesses fatores para a que a prefeitura possa se pautar nas tomadas de decisão.

 

Folha Uberaba - Como está a questão do repasse de recursos para o combate a pandemia?
Secretário:
Olha, com todo respeito ao presidente do país, ele foi muito infeliz em seu discurso, o governo federal deveria é tomar medidas urgentes para que os recursos federais cheguem mais rápido aos municípios, o que não aconteceu até agora, uma vez que o governo federal optou por enviar aos estados para evitar centralização.

O município de Uberaba vem se preparando para enfrentar essa epidemia, dia a dia e já está pronto, através de ações próprias para atender em um momento de maior gravidade, inclusive com 150 leitos preparados receber os equipamentos, para a demanda de Uberaba e região.

Folha Uberaba - Alguma mudança no quadro?
Secretário:
Os números em Uberaba permanecem os mesmos, com apenas três casos confirmados e 22 casos em investigação, com 11 que não foram confirmados, porém a evolução da contaminação continua e por isso, passa da hora de receber do governo federal, que seja pelos governadores, mas que haja responsabilidade na distribuição dos equipamentos e recursos.

Uberaba está entre os poucos municípios totalmente prontos para receber esses equipamentos e com isso, com a contratação de pessoal que já está em andamento, assumir essa estrutura.

 

Folha Uberaba - Para finalizar, como as pessoas devem agir? Seguem as orientações ou atendem o presidente?
Secretário:
Quanto a questão da volta à normalidade, isso cabe ao coordenador do grupo estratégico que, é quem repassa as informações ao prefeito, porém, eu, como coordenador do comitê técnico nesse momento acredito ser melhor a manutenção de todas as medidas tomadas.

Publicidade