Cotidiano

Nosso dia a dia nos traz uma gama “de atos, fatos e boatos” deixando-nos à mercê dessas ações pululando nosso viver. As manhãs são pródigas de energia, sempre positiva tornando-se rentável tudo o que se faz. A tarde é carregada de preocupações, que se arrastam até o anoitecer. Chega a lua, envolvente, estrelada, misteriosa. Hora de botar a cabeça no travesseiro ponderando balanço de mais um dia que se foi. Manchetes do matutino diário, bem repaginado e sempre objetivando aprimoramento, aguçam imagens, algumas, preocupantes em meio às boas notícias. Curtem-se bem os acontecimentos da terrinha e alhures. Aprende-se com ele, duvidas se esclarecem, quem morreu, quem foi exonerado, mais um atropelamento, outro ônibus tomado de assalto, meteorologia, aniversários, casamentos, nascimentos... Gama multicolorida, arco íris rabiscando o céu, chamamento de pingos de solidariedade, amor e paz. Tudo isso sorvido em meio ao café matinal. Assunto quente, o da política, a nos empurrar para a maratona de candidatos fichados na lista encardida prenunciando sujeiras, que nem o  “Limpa tudo” consegue alvejar. Em artigo de 2009 escrito de Brasília, despertara para esse grande e correto movimento da lei,obra de um povo que ainda vibra por um Brasil sem máscaras. Sabemos quão difícil será essa parada, porque viciados, os homens da...nação(atente para o cacófato)por gerações genéticas, creditando-se vitalícios,fazem da força do  poder a “forca” em colarinhos brancos bem folgados!Política viciada, salvo poucas exceções, onde quem está não quer sair. Mas, outras posturas nos arrebatam para caminhos mais distantes: os preconceitos camuflados, a ética, idem, as hipocrisias e aberrações, que povoam esse mundo de Deus. A verdade de cada um estampada em hipotéticas razões, mentiras e covardias, ingratidões e malquerenças, injúrias e calúnias e por aí vão sacos e mais sacos de pedras prontas a estilingadas nas mais variantes direções. Ações duvidosas de pessoas bajuladoras, chefes humilhando empregadores, passando recibo de competência, “otoridades” galgando postos importantes preconceituando “inferiores”, sejam no espaço público ou privado.  Parece que o mundo atual está às avessas. Ouvimos,vemos,participamos de casos escabrosos, que só a bebida, as drogas e o demo apadrinham. Somos arrastados em aluviões de corpo e alma pela desenfreada natureza. Tragédias se espalham levando-nos ao ceticismo e à reflexão. Por que no tempo de nossos avós tudo parecia ir devagar e sempre? Por que as doenças não arremessavam aos horrores de hoje?Por que os remédios mais caseiros curavam e os de hoje alertam para inúmeros efeitos colaterais? Por que a ambição tornou-se “negócio da china”? Por que...

Não pensem, seja eu retrógrada e que não assista às evoluções de um mundo chamado melhor em meio às maravilhosas tecnologias. Os antigos diziam que “o mundo dá muitas voltas; aqui, se faz, aqui se paga...” Sempre, o nascer de nova era traz as coisas boas do período anterior. Assim, também, nossa aprendizagem do dia a dia comprovada em experiências latentes. Aquiete-se, coração! O cosmos, em mutação, é instrumento de reflexões, indagações, novas luzes inserindo nesse infinito mundo de Deus, filósofos, cientistas, mestres e alunos, sábios, ignorantes...

**********************************************************Arahilda Gomes Alves

Cadeira 33 da Academia de Letras do Triângulo Mineito

Publicidade