Comitê Técnico-científico reúne com representantes da Educação para concretizar plano de ação de retorno às aulas

O prefeito Paulo Piau, o secretário de Saúde Iraci Neto e a secretária de Educação, Silvana Elias, reuniram-se hoje com o Comitê Técnico-científico de combate ao Covid-19 para discutir questões pertinentes à educação do município de Uberaba. Conforme repassado à Folha Uberaba, representantes das respectivas secretarias, das Instituições de Ensino Superior, da Superintendência Regional de Ensino, a quem compete às escolas estaduais, e das escolas particulares da cidade também participaram do encontro, que aconteceu em local aberto, no pátio da prefeitura, respeitando todos os critérios sanitários para tal situação.

O prefeito se posicionou a favor de uma conversa mais detalhada sobre a questão, e foi contundente ao dizer: “precisamos planejar, o que não indica que vamos voltar”. As conversas e planos de ação são somente para traçar caminhos para uma possível volta. Todos os representantes da saúde presentes consideraram impossível falar em data de retorno às aulas, que ao parecer da maioria, deve acontecer concomitantemente.

No caso de aulas online, para quem tem condições, elas podem acontecer normalmente, o que já não é possível para as aulas presenciais. Foram abordados todos os aspectos particulares de cada nível de escolaridade e os impactos que cada faixa etária promove diante da pandemia.

Para amenizar as disparidades e particularidades entre as propostas de retorno às aulas, os segmentos serão subdivididos em ensino infantil, ensino fundamental, ensino médio e universidades para que ao final, sob a coordenação do Conselho Municipal de Educação, mediado pela presidente Kátia Cilene, seja enviada uma proposta macro ao Comitê.

Iraci Neto e a infectologista Cristina Hueb explicaram os principais pontos de isolamento e medidas sanitárias e Sérgio Marçal, responsável pela Educação dentro do Comitê Técnico-científico, afirma que tendo as propostas em mãos e com os dados de monitoramento, o governo tomará a decisão.

A intenção, como cita Silvana Elias, é de pensar a educação como a educação do município, para todos os habitantes, e não para redes públicas ou particulares separadamente.

Publicidade