Coluna Mozart Jr.

Palavras

Tem direito de criticar o que tem coragem de ajudar.

 

Abraham Lincoln

 

 

Fundação Cultural
Neste domingo tive a oportunidade de bater um papo com o vereador Ronaldo Amâncio que ao que tudo indica, deve mesmo ser efetivado como presidente da Fundação Cultural de Uberaba.

 

Críticas


A notícia da nomeação do vereador rendeu duras críticas ao prefeito Paulo Piau, muita gente fazendo questionamentos, principalmente sobre dois pontos; a religião, evangélica, do vereador e o impacto que isso poderia ter nas atividades da fundação e quais as credenciais dele para ser indicado para o cargo.

 

Ligação com a cultura
O vereador falou comigo sobre sua formação como músico pelo conservatório estadual Renato Frateschi, e que é musico desde 1983. Amâncio falou de sua ligação com a própria fundação e da sua intensa participação em vários momentos daquela instituição.

 

Iniciativas
O vereador colocou que muita gente o está criticando apenas embasado em rivalidade política com a atual administração e que essas pessoas em momento algum procuraram conversar com ele e ouvir como se deu essa situação.  Segundo ele, tudo aconteceu porque, após a morte do professor Antônio Carlos, de quem ele foi aluno, ele procurou o prefeito Paulo Piau para externar sua preocupação com a possibilidade se indicar alguém que não tivesse ligação com a causa, cultura, para a fundação, solicitou que se priorizasse a questão técnica e então o prefeito, conhecedor da ligação dele com os movimentos culturais da cidade, fez o convite.

 

Lista
Ronaldo listou vários projetos culturais dos quais fez parte ativamente, como na criação da orquestra de Uberaba, indicação para a criação do réveillon popular, a formação da ECAU e também citou o projeto Elas por Elas em que cantoras uberabenses interpretaram grandes nomes da música brasileira.

 

Luta
Amâncio lembrou que realizou um trabalho conjunto com outros nomes da cidade para diminuir a evasão no conservatório nos anos 80 e que quando ele e outras pessoas desenvolveram esse projeto, não só diminuíram a evasão como aumentaram em muito a procura por vagas naquela instituição.

 

Domingo na Concha
Um dos temas mais questionados por muita gente, foi em relação ao projeto Domingo na Concha, hoje consolidado como uma alternativa em matéria de evento cultural na cidade. O vereador garantiu que não há interesse em interferir em nenhum projeto em curso na fundação de forma a prejudicar o que tem sido feito, ao contrário, ele pensa em ampliar o alcance cultural do evento, abrindo espaço para outras manifestações culturais.  Para Amâncio, é importante lembrar que a cultura não se resume em entretenimento, é preciso oferecer mais.

 

Ideias
Entre as ideias citadas pelo vereador, foram muitas, ele citou a importância de uma preparação a ser iniciada já pensando nos 100 anos da semana de arte moderna que acontece em 2022.

 

Religião
Amâncio garantiu que não tem interesse em atacar as manifestações relacionadas a cultura afro, ao contrário, pretende ampliar o alcance dessas manifestações, pois para ele, os negros que não são adeptos das religiões africanas, também tem direito de participar dos processos culturais, um evento retratando a reforma protestante, por exemplo, com apresentações de músicas que influenciaram o movimento, e um pouco de história contada por artistas locais seria uma das proposições.

 

Aberto
O vereador garantiu que independente de ser evangélico, fato que muita gente tem usado  para atacá-lo, não irá misturar as coisas e estará aberto a todas as manifestações culturais sejam relacionadas a qualquer credo.

 

Elogio


Chamou atenção em grupo de política local, aliás um dos mais gabaritados, com a presença de inúmeras pessoas ligadas ao tema e formadores de opinião,  o Politica Uberaba 2020, o elogio rasgado do empresário e conhecido como “ o senhor contra os cartéis “, Ricardo Teles, ao atual presidente da Codiub Denis Silva.

 

Ressuscitou
Ricardo declarou que a Codiub era um peso morto na administração local que ressuscitou após ser assumida por Silva. Ele citou o atual presidente da Codiub como alguém de imensa capacidade e visão e que esses atributos levaram a empresa a um outro patamar em sua história, nunca antes alcançado.

 

Fazendo jus 
E como que confirmando os elogios, a Codiub apresentou hoje à secretaria municipal de saúde a versão final do Cartão Saúde. Denis Silva revelou que o projeto é de um aplicativo moderno e que desburocratizará a saúde como já aconteceu com o IPTU e ITBI através de inovações apresentadas pela Codiub.

 

Assim caminha a humanidade?
Na semana que passou, dois episódios chamaram atenção para uma questão que venho falando há algum tempo e inclusive abordei no programa com meu amigo Paulo Garcia no sábado. Em um deles, uma mulher que possui um distúrbio, após ser detida pelo furto de um perfume, foi execrada nas redes sociais, com direito a exposição dos filhos, simplesmente por ser de uma condição mais abastada. Será que as pessoas que tem uma boa condição financeira não têm direito de ficar doente? Será que essa exposição pública do problema de alguém é salutar para outros? Falta empatia, ninguém se coloca no lugar do outro.

 

Agressão
Em outro caso, um menor enfrentou integrantes da Guarda Municipal e agrediu com chutes os GMs e a todo momento dizendo frases ameaçadoras. O mais impactante, foi que quando os GMs revidaram as agressões para dominar o menor, vários populares que até então, estavam apenas filmando, ficaram contra a ação dos GMs. Aí vem a questão: o que queremos realmente? Até outro dia, pessoas iam para as ruas clamando por uma sociedade diferente, pautada no respeito e na segurança, mas se não há respeito às instituições, como alcançar essa situação que dizemos querer? Vale pensar no assunto.

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade

Anuncie