Após registrar desaparecimento da esposa e filho, homem acaba se transformando em suspeito

Um caso carregado de mistério foi registrado pela polícia militar na manhã desta terça-feira.
Segundo as informações repassadas à Folha Uberaba, um homem de 23 anos, procurou a AISP da Guilherme Ferreira e declarou que gostaria de registrar o desaparecimento de sua esposa de 27 anos e de seu filho de um ano.

O homem disse que saiu para trabalhar por volta de 20 horas de ontem e, ao retornar hoje por volta de 9 horas, não encontrou ninguém em casa.
Equipes da PM deslocaram até a residência no Alfredo Freire e no local buscaram por imagens de câmeras de segurança nas proximidades, porém não há nenhuma residência que disponha do equipamento na região. Ao chegar ao local, o solicitante apresentou uma drástica mudança em seu comportamento e disse que se reservava o direito de permanecer em silêncio.

Em conversas com vizinhos, alguns disseram nunca ter visto a esposa dele no local, e já teriam ouvido gritos e discussões vindos da casa, uma vizinha declarou ter ouvido gritos vindos da casa por volta de 4 horas.
Na casa, os militares depararam com um cadeado arrombado caído próximo ao portão e uma pinça de ferro, provavelmente utilizada para arrombar o cadeado.

Os militares entraram por uma janela que tinha o trinco quebrado e depararam com um quarto com a janela obstruida com tijolos, ali havia uma TV, um banheiro em más condições e vários objetos revirados.
Ao ser questionado, o autor disse que mantinha sua esposa trancada porque ela tinha medo. Após essa confissão o autor recebeu voz de prisão por sequestro e cárcere privado.

Dando sequência as buscas, os militares encontraram outro quarto nos fundos, também com a janela bloqueada e no seu interior, um sofá velho, nenhum documento da esposa do autor foi encontrado, chamou atenção o fato de que, apesar de não haver ventilação ou lâmpadas, o chão apresentava ter sido lavado recentemente.
Um barracão nos fundos apresentava sinais de obra recente, chão cimentado e piso recém instalado, também foi encontrada uma faca que estava molhada.
O autor permaneceu em silêncio o tempo todo e se recusou a colaborar com a polícia.
Todo o material encontrado no local foi apreendido, assim como o celular do autor.
Verificando o sistema informatizado, foi constatado que no mês de julho, o autor registrou ocorrência informando ter encontrado seu irmão morto naquele local sem sinais de violência, na época o caso não passou por perícia.
O caso deverá ser investigado pela Polícia Civil.

Publicidade