Aonde a intolerância pode nos levar?

Mozart Jr. -  mozartct@yahoo.com.br

 

"Liberdade de expressão é um direito. Mas isto não é falta de respeito. Você tem o direito de não concordar mas tem o dever de respeitar."

Daniel Godri Junior

Já falei sobre isso aqui outras vezes e volto ao tema por conta do último episódio envolvendo uma publicação de opinião. Após a publicação da coluna  no último final de semana, foram inúmeros ataques a pessoa do colunista e à Folha Uberaba. Pois bem, aí fica a indagação: Desde quando foi proibido neste país que é democrático, a expressão de opiniões contrárias às vigentes? ALIÁS, NÃO É ISSO A DEMOCRACIA?

Quem me conhece sabe o quanto prezo pelo respeito às mais diversas opiniões com as quais me deparo todos os dias, mas parece que para algumas pessoas, ainda estamos em plena campanha política, ainda não desceram dos caminhões, não se desarmaram.

Não concorda com a opinião? Maravilha, se todo mundo pensar a mesma coisa, ninguém está pensando... essa diversidade que provoca discussão é que faz a mente funcionar, não é atacando a figura humana que se constrói nada.

Todos, repito; TODOS, tem o direito ode pensar e acreditar naquilo que lhes convém. Aliás, é espantoso ver tantas pessoas que utilizam palavras de ordem ligadas a religiosidade, serem tão agressivas em suas reações.

O que buscamos com isso? Uma unidade no pensamento? Todos pensando exatamente igual? Este é o caminho? Em que lugar do mundo isso foi possível? Falta aqui no mínimo um pouco de conhecimento histórico para saber que essa unidade não existe, a não ser, naquilo que dizem abominar; as ditaduras, onde o pensamento tem que ser uniforme...

A Folha também foi acusada, ah sim, publicamos artigos de liberais, assim como publicamos de juízes, advogados, bolsonaristas convictos e nem por isso temos um lado.

Nosso objetivo sempre foi e sempre será, o de abrir espaço para que as mais diversas opiniões sejam conhecidas e debatidas dentro da civilidade de um povo que almeja deixar a condição de terceiro mundo.

Confesso que fiquei impressionado com alguns posicionamentos, de pessoas que reputo como sensatas, entre as muitas “sugestões” foi a de proibir a expressão do pensamento diferente do establishment que mais me chocou. Para onde marchamos, sim, porque isso é uma marcha, não passa disso, pessoas caminhando lado a lado sem buscar ao menos entender o pensamento da outra, sem procurar o mínimo de empatia.

Se você acha que ele está errado em suas convicções, mostre a ele o erro, de forma civilizada e clara e quem sabe terá um aliado a mais.

Não, eu que não tenho religião, espero que esses homens tementes a Deus, possam ter o coração melhor que o meu, possam pelo menos ter repensado e se perguntado; estou pensando ou sendo pensado?

O momento para o Brasil é de suma importância, a hora é de união, de esquecer os lados partidários, de esquecer a cegueira odienta do pleito recente.

O Brasil precisa do sentimento de nação e nação é a soma dos esforços de um povo para o engrandecimento de seu lugar comum.

Ainda que haja diferenças, assim como em outros países, democratas e republicanos e outros, só será possível alçar voos maiores se formos antes de tudo, um povo único, irmãos... brasileiros.

 

 

 

 

Publicidade