Vereador usa tribuna para falar sobre decisão do MP sobre ‘ideologia de gênero’

O vereador Samuel Pereira (PR) usou a tribuna da Câmara Municipal, na semana passada, para demonstrar sua indignação perante decisão do Ministério Público de recorrer ao Tribunal de Justiça, para que lei municipal proibindo a discussão da ‘ideologia de gênero’ nas escolas municipais seja declarada inconstitucional.

Samuel, um dos autores do Projeto de Emenda à Lei Orgânica, que proibiu qualquer discussão sobre o assunto nas escolas do Município, explicou que ‘ideologia de gênero’ é a afirmação de que “ninguém nasce homem ou mulher, mas poderá definir sua opção ao longo da vida”. A alegação está inclusive na cartilha contra a "ideologia de gênero", lançada em 2016 pelo vereador.

Segundo o parlamentar, a lei está sendo descumprida no município. “Em Uberaba, nas escolas está sendo aplicado o ensino de ‘ideologia de gênero’ por professores esquerdistas. Não vamos admitir isso. A decisão do Ministério Público é um absurdo. Não tenho nada contra o homossexualismo, respeito todas as pessoas. O que precisamos com essa discussão é defender nossas famílias”, afirmou.

O vereador Almir Silva (PR) destacou em seu pronunciamento que lei é criada para ser cumprida. “O assunto no momento não é sobre homossexualismo. Em minha opinião, a ‘ideologia de gênero’ não deve ser tratada com crianças tão novas, na escola. Há tempo na vida pra tudo”, defendeu.

Durante o discurso, Samuel ganhou o apoio de muitos vereadores que estavam presentes no plenário.

Publicidade

Anuncie