Uberaba tem ações contínuas de combate às arboviroses

Prefeitura Municipal de Uberaba realiza trabalho contínuo de combate às arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti. Desde o início do ano, várias atividades têm sido realizadas com o objetivo tanto de conscientizar a população para evitar criadouros do mosquito transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela, como combater os focos e eliminar depósitos de água parada.

Todos os médicos e enfermeiros das unidades básicas da rede pública de saúde de Uberaba passaram por capacitação sobre o manejo clínico das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti. O treinamento serviu de atualização sobre os procedimentos quando o paciente chega à unidade de saúde, diagnóstico e fluxo de atendimento de acordo com gravidade de cada caso, solicitações de exames e logística da coleta dos mesmos, notificações e preenchimento das fichas de informações.

Robert Boaventura, diretor de Vigilância em Saúde da SMS, destaca que qualquer unidade de básica de saúde de Uberaba está apta a receber pessoas com sintomas suspeitos. “Durante o dia, ela pode procurar a unidade mais próxima da sua casa, pois há todo um aparato para atender os casos, toda a equipe de médicos e enfermeiros passou por capacitação, estão habilitados e treinados para atender”, enfatiza Boaventura.

O diretor de Vigilância em Saúde aponta ainda que o número de notificações reflete as orientações da capacitação, para que os profissionais notificassem qualquer caso suspeito, para manter médicos e enfermeiros alertas. “Temos 3.074 casos notificados, lembrando que o estado divulga os números com atraso, por questão de alimentação do sistema, porém não temos nenhum caso grave notificado nos hospitais, algo que estamos acompanhando diariamente”, explica Boaventura. O boletim epidemiológico de monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika publicado pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais nesta segunda-feira, dia 01º de abril, apontou 2.189 casos prováveis de dengue.

Ações rotineiras - Os agentes de combate a endemias (ACE’s) do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias da Secretaria de Saúde realizam visitas domiciliares regularmente para orientar moradores, realizar tratamento e eliminação de criadouros, assim como a equipe de bloqueio de transmissão, que realiza dedetização no entorno dos locais de moradia dos pacientes notificados como casos suspeitos de arboviroses. Equipes específicas também visitam locais estratégicos, como ferros velhos, cemitérios e borracharias. Em janeiro, foi feito o primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) de 2019. A pesquisa identificou um índice de infestação de 4,26%, valor que aponta a existência de um risco de surto de arboviroses e é referência para orientar os trabalhos da Secretaria de Saúde e da Prefeitura como um todo.

Outras ações, iniciadas em fevereiro, são o Mutirão de Limpeza e o fumacê e motofogs. Segundo a chefe do Departamento de Controle de Zoonoses e Endemias, Lara Rocha Batista, o Mutirão é realizado em períodos mais críticos, com o intuito de retirar objetos que possibilitem o acúmulo de água e, consequentemente, a reprodução dos mosquitos. Mais de 20 toneladas de lixo já foram recolhidas até o final de março. “Já o fumacê e motofog são realizados visando diminuir a população adulta do mosquito, complementando as ações de rotina permanentemente desempenhadas”, explica Batista.

Publicidade

Anuncie