Trabalho de combate às drogas em Uberaba inclui projetos de socialização, inclusão, prevenção e tratamento

Seminário abordou ações e projetos de trabalho em rede da PMU para atuar em várias frentes na prevenção e combate às drogas

Trabalho em equipe, prevenção por meio da cultura, esporte e educação, e tratamento e acolhimento humanizado. Estas foram as principais palavras durante o seminário sobre “Medidas em Prevenção e Combate às Drogas” que aconteceu nesta quinta-feira (11) no Anfiteatro do Centro Administrativo da prefeitura. Promovido pela Prefeitura de Uberaba, por meio do Conselho Municipal de Segurança Pública (COMSEG), o seminário abordou projetos e dados do município, divididos em três temáticas: autoridade, prevenção e tratamento. O secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, do Ministério da Justiça, João Luis Pinto Martins de Oliveira, participou, bem como demais secretários municipais e outras autoridades, para conhecer o trabalho em rede realizado pelo município. 

O prefeito Paulo Piau enfatizou que Uberaba tem um trabalho muito consistente no preventivo, enquanto o repressivo é função do Estado e da União, mas que a conversa entre os setores é importante para a realização de um trabalho eficiente, sem desperdício de recursos. “Em visita ao secretário Nacional de Políticas Sobre Drogas, contei a ele o que Uberaba desenvolve, e algumas das nossas ações, sendo que ele achou interessante vir aqui para ouvir e apresentar o que o Brasil está fazendo nesse sentido e o que o Ministério tem para oferecer. Então, é uma relação em que todos ganham, pois ele leva informações de Uberaba e a gente recebe informações e recursos”, destaca Piau.

Dentro da exposição das informações, o secretário do Conselho Municipal de Segurança Pública, Capitão Roberto Alves de Oliveira, apresentou a importância do perfil geográfico de Uberaba na chamada ‘rota caipira do tráfico internacional de drogas’, dados de apreensões nos anos de 2017 e 2018, e o trabalho de identificação de jovens usuários, familiares e locais que apresentam maiores casos. “Uberaba conhece o seu território, como mostrado pela nossa base de dados. A gente sabe onde estão essas famílias e os principais locais, para podermos enviar para as secretarias as informações e atuar não só na parte de autoridade, quanto de prevenção e tratamento também”, ressalta Oliveira. 

Após as apresentações, o secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, João Luis Pinto Martins de Oliveira, agradeceu o convite para conhecer Uberaba e destacou que uma das metas da Secretaria Nacional é de terminar os projetos pendentes até o final do governo do presidente Temer, incluindo convênios, emendas e assinatura de contrato das comunidades terapêuticas. “Vou falar delas em específico, pois são locais de atendimento voluntário de dependentes de substâncias psicoativas: Abrimos um edital em abril, para seis mil novas vagas de acolhimento, e na segunda-feira (08), o Presidente Temer anunciou que chegamos a 9400 vagas, podendo ser aumentadas com a chegada de novos recursos administrativos, para acolher essas pessoas”, conta o Secretário João Martins. 

São 412 comunidades terapêuticas habilitadas, que obedeceram todas as regras dos editais de documentação e de projeto. O contrato com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas será assinado ainda este ano, para o repasse de um valor mensal por dependente acolhido, durante um ano, podendo ser válido por até 5 anos. De acordo com o Secretário, o valor disponibilizado gira em torno de R$136 milhões de reais. 

Autoridade. No que diz respeito aos temas abordados, a questão de autoridade e repressão contou com a palavra da Promotora de Justiça do Ministério Público (MP), Dra. Cláudia Alfredo Marques Carvalho e do Comandante da 5ª Região da Polícia Militar, Coronel da PM Lupércio Dalvas Peres; aspectos como o aparelhamento das policias, capacidade de policiamento na região e crescimento do crime organizado, função do MP dentro das questões de lei, constituição e atendimento humanizado, ações conjuntas para coibir os maus tratos e tortura e equipamentos ilegais para atender os usuários de drogas. 

Prevenção. A secretária de Educação, Silvana Elias; o presidente da Fundação de Esporte e Lazer, Luiz Medina; o vice-presidente da Fundação Cultural, Marcelo Augusto; presidente da Fundação de Ensino Técnico Intensivo “Dr. Renê Barsam” (Feti), Eduardo Calegari; e secretário de Desenvolvimento Social, Marco Túlio Cury, apresentaram equipamentos e projetos dentro das suas respectivas pastas para ocupar o tempo dos jovens com atividades inclusivas e dispositivos para levar as famílias à participarem mais da vida dos jovens, evitando o contato com as drogas e oferecendo perspectivas de futuro. 

Tratamento. Para o último eixo temático do Seminário, o diretor da Atenção Psicossocial da Secretaria Municipal de Saúde, Sérgio Marçal, apresentou os dispositivos de acolhimento e tratamento da rede pública de saúde de Uberaba, em todas as esferas de atenção: matriciamento na Atenção Básica, para prevenção e promoção da saúde; ambulatório especializado com 4 psiquiatras e 11 psicólogos na URS Mercês; CAPS AD III para atender casos graves; leitos de demanda clínica em caso de necessidade de suporte hospitalar; leitos de internação psiquiátrica e atendimento de urgência e emergência na UPA São Benedito.

Publicidade