Secretaria de Saúde reforça chamado para público alvo se imunizar contra a influenza

Mais de 55 mil pessoas já receberam a vacina, 59,7% do público prioritário. Meta mínima é 90%.

Faltam pouco mais de duas semanas para o encerramento da 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza em Uberaba e o balanço da Secretaria de Saúde desta quinta-feira (16) mostra que 55.412 pessoas foram imunizadas, número que representa apenas 59,7% do público alvo. A porcentagem de vacinação de Minas Gerais é de 68%, enquanto a do Brasil é de 60,2%.

A campanha iniciou no dia 10 de abril e vai até o dia 31 de maio, com meta local de vacinar pelo menos 83.430 pessoas, o que corresponde a 90% do grupo prioritário (100% - 92.701 pessoas), somando o grupo com comorbidades. Dos grupos prioritários, os que mais compareceram, em porcentagem, foram os idosos, trabalhadores da saúde e puérperas, com 65,1% (24.853 doses aplicadas), 64,2% (4.853 doses) e 57,5% (293 doses aplicadas) do público alvo, respectivamente. Segundo o consolidado, os grupos com menor porcentagem são os de professores, crianças e gestantes, com 48,2% (1.600 doses), 48,6% (9.968 doses) e 54,2% (1.680 doses) cada. O grupo de pessoas com comorbidades teve 10.921 pessoas imunizadas, representando 55,9% do público alvo.

O diretor de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde, Robert Souza, reforça o chamado para que o público prioritário procure a unidade mais próxima para receber a dose da vacina o quanto antes. “São grupos que estão mais suscetíveis a terem uma gripe mais grave, então chamamos essas pessoas para se imunizarem o mais rápido possível, pois as temperaturas já estão caindo em Uberaba e já contamos com sete casos notificados de gripe”, relata Robert.  

A vacinação acontece das 08 às 16 horas, e em caso de dúvidas, as pessoas podem procurar o posto de saúde mais próximo, ou podem ligar na Central de Vacinas, pelo número 3322-7822.

Público alvo - Conforme a orientação preconizada pelo Ministério da Saúde, fazem parte do grupo prioritário as pessoas com 60 anos ou mais, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas com até 45 dias após o parto, os trabalhadores da saúde, os professores das escolas públicas e privadas e os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis (tais como diabetes, doenças cardíacas crônicas, doenças hepáticas crônicas, imunossuprimidos, obesidade mórbida e transplantados, entre outros) e outras condições clínicas especiais, além de policiais civis, militares, bombeiros, membros ativos das Forças Armadas e pessoas privadas de liberdade.

Profissionais da saúde precisam apresentar a carteira de registro profissional do Conselho da categoria, enquanto professores podem apresentar o holerite ou um documento que seja comprovante. Já para os portadores de doenças crônicas, precisam apresentar um laudo médico que comprove a necessidade da imunização.

Publicidade