Presidente da Codiub detalha projeto Cidade Inteligente na Câmara

O sistema “Cidade Inteligente”, o Cadastro Eletrônico da Saúde e o Centro de Monitoramento e Controle foram alguns dos temas abordados no Plenário da Câmara Municipal pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento de Informática de Uberaba (Codiub), Denis Silva Oliveira. Ele participou da sessão a convite do vereador Rubério dos Santos (MDB), assim como o vice-presidente Luís Eduardo Peppe e o diretor de TI da Codiub, Luiz Fernando Monteiro.

Rubério explicou que gostaria de saber quais são os requisitos básicos para uma “cidade inteligente”, assim como a importância da Codiub como empresa.

O presidente da Companhia esclareceu o que é o Smart Cities, ou “Cidade Inteligente”. Segundo ele, a Codiub tem participado de uma série de palestras no Estado e também em outras regiões do País. Na semana passada participou de um evento, o Connected Smart Cities, o maior evento da América Latina voltado para a área. O evento nacional foi realizado em São Paulo e pela primeira vez a Codiub participou como palestrante convidada.

Denis ainda procurou esclarecer o papel da empresa, pois tem o objetivo de aproximá-la da comunidade. Ele explicou que a Companhia foi fundada em 14 de fevereiro 1986, e é de economia mista, assim como, por exemplo, a Caixa Econômica e o Banco do Brasil, além da Cohagra.

O atual presidente lembrou que está no cargo há 1 ano e 9 meses, e que este é um desafio novo e importante, que precisava ser resgatado para a cidade. Segundo Denis, a Companhia precisa dar lucro, pois tem acionistas privados, porém a maioria das ações pertence a Prefeitura. Ele esclareceu, ainda, que a Codiub pode vender qualquer produto desenvolvido para entes públicos, sem necessidade de licitação, pois foi criada antes da Constituição de 1988. “São poucas empresas no País que tem esta prerrogativa”, afirmou, destacando que a Codiub deixou de abrir suas fronteiras nos últimos anos, mas que a atual administração está fazendo isto agora.

Ainda conforme o presidente, o prefeito Paulo Piau criou um comitê de desburocratização, fazendo com que um serviço que demorava meses, agora seja realizado em minutos. Um deles é a consulta prévia online, que antes demorava duas semanas e agora pode ser concluído em apenas oito minutos. “A burocracia era muito grande e estamos encaminhando rumo ao papel zero”, afirmou Denis.

Saúde – O presidente da Codiub apresentou o novo prontuário eletrônico do Município, completamente diferente do anterior. Ele explicou que os médicos e outros servidores da saúde tinham acesso ao antigo sistema, porém este não “dialogava” com o e-SUS, sendo necessário usar os dois sistemas ao mesmo tempo.

Segundo Denis, a equipe desenvolveu um prontuário totalmente WEP, ou seja, pode ser acessado pela internet. O projeto estava sendo desenvolvido há um ano e pode ser utilizado em celulares e outros dispositivos, como tablets.

“Atualmente três unidades já estão em teste, uma modelo, uma média e uma complicada, que fica fora da cidade, no bairro rural de Santa Rosa e, o mais importante, com todas as informações integradas”, disse o presidente da Companhia.

O representante da Codiub adiantou que o próximo passo será desenvolver um cartão da saúde ou mesmo o acesso através da biometria, pois muitos pacientes vêm de outros estados para a cidade e o Município não recebe recursos para isto. “A intenção é fazer o atendimento lastreado no Título de Eleitor, para saber quem está vindo de fora e com isso conseguir buscar estes recursos”, acrescentou.   

Outra novidade apresentada é o aplicativo Facilita Tudo, que contém todos os serviços prestados pela Prefeitura, como o acesso ao IPTU ou saber o horário dos ônibus, por exemplo. Denis explicou, ainda, que a Codiub tem vários clientes e um deles é a Prefeitura de Uberaba, então alguns pedidos encaminhados pelos vereadores não podem ser atendidos diretamente, apenas através do Poder Executivo.  

“Uberaba é a 6ª cidade no top 20 em geração de startups. É um novo momento na cidade e isto tudo envolve a questão da Smart Cities”, avaliou. O presidente da Companhia citou, ainda, o aplicativo BusU como uma experiência bem-sucedida. Criado em parceria com as empresas de ônibus e com o Mobile Bus, ele avisa onde o ônibus está e quanto tempo vai demorar. Uberaba já é a terceira cidade no País em número de downloads do aplicativo, segundo Denis.  

Segurança - A principal demanda da comunidade hoje é a segurança pública, conforme lembrou Denis. Ele contou que recentemente esteve com o chefe da Anatel, estudando a questão das faixas de frequência utilizadas pelas polícias. “Nós não pretendemos trabalhar diretamente com questões da segurança, fornecendo soluções, mas sim fornecendo ferramentas”, afirmou.

Um dos projetos apresentados é o Centro de Monitoramento e Controle, através da instalação de câmeras, mas que não tem nada a ver com o Olho Vivo, instalado pelo Estado. O presidente da Codiub considera o antigo sistema ultrapassado, pois o olho humano não consegue acompanhar tudo.

“No caso do Centro de Monitoramento, quando passar um veículo roubado/furtado, o sistema vai detectar na hora e apitar”, explicou.  O projeto está sendo desenvolvido há um ano e oito meses e já está pronto.

Segundo Denis, enquanto ainda não podem contar com uma rede de fibra óptica, pretendem utilizar OCR (Reconhecimento Óptico de Caracteres), ou chips, para realizar os monitoramentos. O sistema também vai poder fazer reconhecimento facial, consultando, por exemplo, se um suspeito tem passagens pela polícia.

A intenção é de que o Centro de Monitoramento seja licitado até o final de 2018. “Até o final do ano pretendemos apresentar o licenciamento ambiental e a consulta prévia completos, já temos o ITBI online, assim como o georreferenciamento”, comentou Denis.

Para ele, o grande problema da Prefeitura hoje é o cadastro, e é preciso tentar eliminar a falha humana e os erros. “Você não faz uma cidade inteligente sem conhecer quem está lá”, finalizou.

Publicidade