Oficina lúdica e debate marcam reta final da Campanha do Laço Branco

Objetivo é conscientizar sobre a erradicação da violência contra a mulher

Campanha do Laço Branco, iniciativa internacional direcionada para o envolvimento dos homens na erradicação da violência contra a mulher, tem oficina de artesanato, debate sobre a Lei Maria da Penha e panfletagem na reta final das atividades. Dentro do cronograma da Prefeitura Municipal de Uberaba, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) e do Centro Integrado da Mulher (CIM), nesta terça-feira, dia 04 de dezembro, acontece a oficina “Costurando Sonhos II”, em continuidade à atividade realizada em 2017, no CIM, a partir das 14h.

Usuários dos serviços dos CRAS e mulheres que já passaram por atendimento na unidade foram convidados para participar e fazer uma peça de artesanato, enquanto escutam profissionais sobre empoderamento e como sair de situações de violência. Segundo a gerente do CIM, Juciara Moura, o material utilizado será fornecido no local e a peça poderá ser levada para casa. “Será feito um trabalho de formação humana, auto estima e fortalecimento de gênero concomitante com a confecção de uma boneca artesanal, conhecida como Abayomi, que significa “encontros preciosos”  e simboliza a resistência”, esclarece Moura. As bonecas serão feitas de sobras de tecido que são amarrados resgatando a forma mais singela do fazer artesanal, sem uso de costuras e o mínimo de ferramentas.

Já na quarta-feira, 05 de dezembro, será realizado um debate com o tema “Desafios na Aplicação da Lei Maria da Penha” na Casa dos Conselhos, às 09h, com participação da investigadora de polícia da Delegacia da Mulher Marcela Messias, Oficial do Ministério Público de Minas Gerais Francine Moura Limírio, gerente do CIM Juciara Moura Limírio e advogada Núbia Martins da Costa. O evento é voltado para profissionais que trabalham no combate da violência doméstica e estudantes. “Nosso objetivo é promover a discussão, entre os vários segmentos envolvidos, sobre as dificuldades na aplicação da Lei e buscar sugestões de trabalho multi-setorial para melhorar o atendimento as mulheres vítimas de violência”, explica Moura.

Dia 06, a Campanha encerra com panfletagem e assinatura de termo de compromisso dos homens simpatizantes da causa no entorno das delegacias, no Parque das Américas, no período da tarde.

Laço Branco. O objetivo da campanha é sensibilizar, envolver e mobilizar pelo fim da violência contra a mulher, a partir de diversas ações e promover a equidade de gênero e superação das desigualdades entre homens e mulheres. Proclamado pela Organização das Nações Unidas no dia 25 de novembro, todas as atividades de Uberaba são abertas ao público.

A gerente do CIM destaca que o foco das atividades este ano foi a prevenção, com foco no convite do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) de Sacramento para ministrar palestra para alunos do 9º ano, professores, agentes de saúde e usuários do serviço. “Tivemos várias rodas de conversa na semana passada, inclusive recebemos esse convite do CREAS de Sacramento, num esforço conjunto das equipes no enfrentamento do problema da violência contra a mulher. Tivemos uma recepção positiva da população, com o pessoal participando muito, com bastante interesse pelas informações”, explica Moura.

Informação.  A gerente do CIM destacou durante a abertura, que em caso de denúncias, a mesma pode ser feita de forma anônima tanto pelo no número do Centro de Referência, 3312-9161, como pelo tridígito 180, que é o número nacional e funciona 24h. “Em caso de orientações, a pessoa pode ir no Centro Integrado da Mulher, na Rua Luiz Próspero, 242, e conversar com uma técnica para decidir os próximos passos, se vai dar prosseguimento ou não a uma denúncia. Deixamos ao livre arbítrio da mulher, a menos que ela tenha lesões aparentes, que aí tem que ser feita a denúncia, pois o silêncio prejudica o nosso trabalho. A mulher tem que procurar ajuda”, reforça Moura.

Publicidade