Livro “Aflitivas” de Bruno Mira será lançado na Biblioteca Bernardo Guimarães em março

A Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães recebe, no dia 09 de março, o autor Bruno Mira, em tarde de autógrafos no lançamento do livro “Aflitivas”, pela editora Multifoco, a partir das 14h. O momento ainda contará com o recital do violonista André Luís Vieira.
 
O livro possui 24 poemas, contendo poesia verificada no modelo métrico e versos livres. A prosa poética de Bruno Mira tem influências no ultrarromantismo e no surrealismo.
 
Sensível, o literato conta que externa na obra o desassossego das dores mais íntimas como forma de alívio. O livro é dividido em três partes principais, em textos que narram, mesmo em poesia, imersões em sentimentos diversos, de aflição, ansiedade, medos e pensamentos controversos.
 
O livro será vendido ao valor de R$ 40,00 e o autor escolheu Uberaba, por ser onde encontrou a esposa e onde nasceu a filha, de apenas três meses. Ele também lecionou no município entre 2010 e 2013. “Sinto-me Uberabense, porém nasci em Ituverava (SP)”, diz.
 
Bruno Cesar Costa Ribeiro Mira, nasceu em 1986 e desistiu de seguir os estudos em violão erudito faltando apenas um ano para se formar e resolveu graduar-se no curso de História na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ituverava.  Também é graduado em Ciências Sociais pelo Instituto Federal do Triângulo Mineiro e possui pós-graduação no ensino profissional integrada à educação básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos - PROEJA (IFTM). Atualmente trabalha como docente no ensino público do estado de São Paulo. Como poeta participou das seguintes antologias: Antologia Poesia Agora edição outono 2018, editora Benfazeja; Antologia Poética Prêmio Sarau Brasil, 2018 editora Vivara; Além da Terra, Além do Céu - Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea – Vol. III 2018, editora Chiado.  
 
Lançamento e tarde de autógrafos
 
Livro: Aflitivas
 
Autor: Bruno Mira
 
Data: 09 de março de 2019
 
Horário: 14h
 
Local: Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães
 
Rua Alaor Prata, 317 – Bairro Estados Unidos.
 
Trecho do poema Dedalos:
 
(...) As vozes teciam um não entender de pausas obvias demais para se perguntar, E o pensamento submerso nos abissais ensejos,
 
Sediam a cada passo, com trinados vernizes nos lábios da boca gasta.
 
Glóbulos suspensos estirados sob veias, olhavam com a mucosa, na neblina de um céu sobre a noite, cachoeiras do pecado informe.
 
Firmaram raízes, que agora traziam certezas, no tarde demais do paraíso em vísceras nutrindo a contragolpes. (...)

Publicidade

Anuncie