HC-UFTM realizou 48 transplantes de córnea, 14 de rins e quatro de medula em 2017

Foto: Unidade de Comunicação HC-UFTM

De janeiro a dezembro de 2017, o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro captou 70 córneas, 20 rins, sete fígados e quatro valvas cardíacas. Houve, no período, 48 transplantes de córneas, 14 de rins e quatro de medula óssea na instituição.

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos (CIH-DOTT) efetuou 141 entrevistas com familiares de potenciais doadores - pacientes com morte encefálica confirmada -, o que resultou em 42 casos de doação. 

84% das buscas por múltiplos órgãos foram bem-sucedidas, assim como 29% das relativas a órgãos e tecidos específicos e 23% das que visavam exclusivamente à captação de córneas.

"Precisamos continuar firmes na conscientização sobre a importância das doações de órgãos. É uma decisão de altruísmo e amor ao próximo, que salva vidas. Basta informar à família sobre o desejo de doar", incentiva o coordenador da CIH-DOTT, Ilídio Antunes de Oliveira Júnior.

Aconteceram, ainda, 62 palestras, reuniões ou entrevistas para a imprensa sobre o tema, durante o ano. Desde 2001, o projeto Vida pela Vida, coordenado por Oliveira Júnior, já coletou amostras de sangue de 24.874 interessados em se registrar no Cadastro Nacional de Doadores de Medula Óssea - Redome -, tendo sido incluídos 1.961 no último ano.


 
Causas de não doação

“Foram identificados, inicialmente, 1.035 possíveis doadores em 2017. Contudo, 797 tiveram contra-indicação médica e 378 apresentavam sepse, circunstâncias que impedem a entrevista sobre a possibilidade de doação. 52 famílias não autorizaram a retirada de órgãos. Em 25 casos a família estava ausente e em outros oito, o paciente não possuía identificação”, detalha Oliveira Júnior.

Houve, como critérios de exclusão, adicionalmente, 49 diagnósticos de sorologia positiva para infecções virais como hepatites, HIV ou HTLV, 251 fora da faixa etária indicada para doação de órgãos e 18 optantes em vida pela não doação. 27 óbitos haviam ocorrido há mais de seis horas, o que também impossibilita o procedimento.

O trabalho da CIH-DOTT consiste na identificação de doadores com morte encefálica confirmada. Localizada no HC-UFTM, a Comissão conta, também, com uma unidade de captação de córneas na Fundação Hospitalar Municipal João Henrique, em Conceição das Alagoas/MG. É subordinada à Superintendência do HC e ao MG Transplantes - regional oeste, com sede em Uberlândia/MG.

 

 

Publicidade

Anuncie