Habemus candidatos!!!! - Mozart Jr.

Os últimos dias foram marcados por várias reviravoltas no cenário político, se o Papa é anunciado com a fumaça branca, por aqui pode se dizer que em alguns casos a fumaça estava mais para sinais de incêndio ou de guerra como faziam algumas nações indígenas.

Entre as mudanças, Rodrigo Pacheco que se apresentava como a terceira via, o “nem um nem outro” , acabou convencido e bandeou para o um, ou será para o outro?

Com isso, salvo se Márcio Lacerda conseguir realmente levar a frente sua desobediência à cúpula do partido, aqui a fumaça foi sinal de guerra mesmo,  tudo indica que teremos mesmo a polarização entre Anastasia, que luta para desvincular sua imagem de Aécio, apesar da gafe cometida por seu vice e também para convencer os incautos que não tem absolutamente nada com a situação caótica em que se encontra o estado e do outro lado, teremos Pimentel, que apesar de dizer que a situação do Estado é critica e ingovernável, reluta em largar o osso.

Se por um lado os uberabenses já comemoram a presença de um vice que dará representatividade a cidade  e a julgar pelas pesquisas, deve mesmo se consolidar, fica a pergunta sobre a vizinha Uberlândia, com a desistência de Pacheco: Abraçarão a candidatura de Anastasia e engolirão o vasco, quer dizer vice de Uberaba?

Para aqueles que tinham esperança em uma terceira via, resta concentrar esforços em Romeu Zema, a tarefa é árdua, o tempo é curto para competir com os políticos profissionais, mas sonhar não custa nada. Os outros, são apenas figurantes, com todo o respeito, aparecem como traço nas pesquisas.

Se os uberabenses, não todos, comemoram a polarização que ao que tudo indica decidirá entre Anastasia e Pimentel o comando do Estado, com grandes probabilidades de vitória do Tucano, por outro lado, a representatividade na ALEMG pode ser colocada em risco em razão do grande número de candidatos da cidade, sem contar os paraquedistas que sempre levam algum daqui...

A pulverização nesse caso, pode prejudicar quem realmente tem chances, o bom senso nessa hora seria muito bem vindo no sentido de buscar fortalecer a cidade e não minar as chances que ela tem.

Uma análise fria da situação faz crer que tem muita gente que não tem a mínima chance e está entrando nessa apenas para tentar capitalizar, não creio ser a hora, acho que é preciso deixar as vaidades de lado e se unir para que Uberaba não seja a grande perdedora.

Candidatos que estão entrando na briga agora, quantos percorreram a região? Uma questão pessoal não pode passar por cima do interesse coletivo e entender isso é uma forma de se mostrar preparado para a vida pública realmente e não estar apenas buscando seus próprios  interesses.  

Mozart A. Almeida Junior

 

Publicidade