Fotografias do Circuito Dandô Uberaba são expostas em São Paulo

O projeto cultural “Varal Dandô”, de autoria da fotógrafa Ruth Gobbo, estará presente na “Ocupação Dandô – 5 Anos”, circuito de música Dércio Marques. O evento começa no dia 12 e vai até 16 de setembro, em São Paulo, na Unibes Cultural. O projeto comemora o aniversário com palestras, rodas de conversa, sarau, exposições, oficinas de música e dança latino-americanas, contação de histórias, shows e mostras regionais com artistas dos circuitos de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás e Distrito Federal. Os artistas anfitriões são João Bá, Doroty Marques, Zé Geraldo, Ceumar e Alzira E. A ocupação ocorre paralelamente ao “II Encontro Latino-Americano do Dandô” que recebe parceiros do Chile, Venezuela e Argentina e as “1000 Guitarras para Victor Jara”.

Em Uberaba o circuito Dandô é realizado em parceria com Prefeitura de Uberaba através da Fundação Cultural. Ruth Gobbo documentou três anos do projeto e afirma que expor na celebração é especial. “A notícia veio pelo amigo Marcelo Taynara, que é curador da minha exposição. É significante demais, pois como jornalista, eu sei que devo ater-me aos fatos, mas como fotógrafa eu posso transformar música em fotografia, posso trazer poesia”.

O Circuito Dandô é itinerante, uma grande junção de músicos de lugares diferentes do Brasil e que de forma coletiva e colaborativa promove encontros, trocas e reflexões acerca da música. Cada artista que integra o projeto sai de cidade natal dele para se apresentar nos pontos que fazem parte do circuito, seguindo um calendário anual de shows de março a dezembro. Atualmente são cerca de 70 pontos cadastrados.


5 anos. O evento de aniversário contará com bate-papos, barracas de artesanato e grupos de dança, além de shows de Katya Teixeira, Cecilia Concha Laborde, José Delgado, Victor Mendes, Paulo Nunes, EntreLatinos, Ana Maria Stinghen, Anabel Andrés, Cardo Peixoto, Analía Garcetti, Isabella Rovo, Victor Batista, André Salomão, Cabocla e Marcelo Taynara, entre outros.

O circuito foi idealizado pela cantora Kátya Teixeira e é realizado por uma rede mobilizadores locais, artistas, instituições e produtores culturais. Busca uma interação musical entre artistas e público, proporcionando às pessoas o acesso à música produzida fora da indústria cultural de massa.

O Dandô teve início em 2013 e hoje está presente em mais de 40 cidades brasileiras, se expandindo para América Latina e Europa. ‘Dandô’ é uma forma verbal rápida da palavra andar, “andou, dandou, dandô”, no linguajar dos pretos velhos. O nome do projeto foi tirado da música ‘Canto dos Ipês Amarelos’, de João Bá, Klécius Albuquerque e Guru Martins, que homenageia o cantor e compositor Uberabense Dércio Marques, falecido em 2012.


Autora da mostra. Fotógrafa e jornalista, Ruth Gobbo é mineira, natural de Sacramento. Desde cedo esteve ligada às áreas artísticas – dança, teatro, pintura e música, mas foi na fotografia que encontrou a maior forma de expressão e onde imprimiu a fusão das vivências artísticas. O fascínio pela captura a acompanha desde sempre e o acervo dela reúne imagens da América do Sul/Norte e continente Africano, com publicações nacionais e internacionais. Atualmente Gobbo reside em West Long Branch em Nova Jersey.

Publicidade

Anuncie