Faltas não justificadas prejudicam redução da fila eletrônica

Porcentagem de faltas gira em torno de 40%. Pacientes confirmam a presença, mas não comparecem

A Prefeitura de Uberaba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, tem trabalhado para reduzir a fila eletrônica. Foram mais de R$7 milhões de investimentos e 27 unidades de saúde revitalizadas, com a nova versão do prontuário eletrônico, otimizando o agendamento e reduzindo o quantitativo de procedimentos em espera de atendimento.

Análise feita pelo Departamento de Atenção Especializada do primeiro semestre de 2018, no entanto, mostra que os números de faltas nas consultas têm dificultado o trabalho de redução das filas. Segundo dados da análise, na fila de Oftalmologia, até julho de 2018, os agendamentos tiveram 39,7% de faltas. Na Ortopedia a mesma porcentagem, 39,7% dos pacientes faltaram. Já na especialidade de Ginecologia, as faltas somaram 40,7% dos pacientes agendados.

Sheron Hellen da Silva, chefe de departamento da Atenção Especializada, destaca que o principal problema é quando a equipe da Fila Eletrônica liga para o paciente confirmar se vai ou não à consulta, a pessoa fala que vai, mas no dia não comparece. “Precisamos da conscientização da população de não faltar às consultas, ou de pelo menos avisar com antecedência, para que possamos ofertar aquela vaga para outra pessoa. Se essas pessoas não confirmassem ou tivessem a responsabilidade de avisar com antecedência, hoje teríamos um número muito inferior de pessoas aguardando. Em algumas especialidades, se não fossem as faltas, a fila já estaria zerada”, destaca Sheron.

De acordo com a chefe da Atenção Especializada, além de ser um processo oneroso para a Prefeitura, o paciente que falta precisa repetir o procedimento de passar pela consulta com o clínico, para poder receber o encaminhamento médico, entrar na fila e realizar a consulta com o especialista. “Pedimos que as pessoas não faltem, a equipe da Fila Eletrônica sempre liga, então é só avisar que não vai poder ir, caso ela confirme e precise cancelar, o protocolo de agendamento que ela recebeu tem o número de telefone para ligar e em caso de retorno, a pessoa pode ligar diretamente na Unidade de Saúde para remarcar”, orienta Sheron.

Dados – Entre as ações para reduzir a fila eletrônica, a SMS destaca a otimização e redução do quantitativo de procedimentos em espera de atendimento. De junho de 2017 a julho de 2018, houve uma redução de 50,3% do quantitativo de procedimentos na fila. A fila de Patologia Clínica foi zerada.

De 2017 para 2018, houve redução do tempo de espera para exames laboratoriais, que antes era de até 60 dias e hoje a espera máxima é sete dias. O mutirão de triagem de pequenas cirurgias reduziu em 30% o quantitativo de pessoas aguardando na fila eletrônica. Outro mutirão é o de espirometria, cuja fila foi zerada nos meses de agosto e setembro.

Publicidade

Anuncie