Evento Lutas de Maio da Uniube recebe apoio da Fundação Cultural

Membros da Fundação Cultural de Uberaba (FCU) participam da 6° Semana das Lutas de Maio. O evento, realizado pelos alunos do curso de Psicologia da Universidade de Uberaba – Uniube, debate diversas lutas sociais, elencando um tema para discussão a cada dia da semana. A Segunda Negra foi contra o Racismo, Terça Azul em prol da Adoção, Quarta Amarela contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Já a Quinta Violeta impulsiona o fim das LGBTfobias e, para encerrar, a Sexta Verde trabalhará a luta Antimanicomial. 

Na Quinta Roxa, das 8h às 11h, a roda de conversa traz na proposta “O empoderamento LGBT e sua Representação Social”. A roda será no Bloco A, sala 2A020, do Campus Aeroporto da Uniube e é ministrada pela chefe do Departamento de Fomento à Cultura e Patrimônio Histórico da FCU, Lucimira Reis, pelo coordenador de Políticas Públicas LGBT, Valdir Santana e por Wender Thiago, presidente da ONG LGBT Marco Antônio do Nascimento.

Segundo Lucimira, eventos como esse são importantes e devem ser promovidos.  “A ideia é ressaltar que o preconceito e a homofobia aumentaram no ano de 2016 e 2017, crescendo em 30% os números de agressões físicas em nível de morte. É algo que precisa ser feito e que não está funcionando dentro da luta LGBT, precisamos do apoio de toda sociedade.”

O presidente da FCU, Antônio Carlos Marques, palestrou na Segunda Negra durante a mesa redonda “Entendendo as Religiões de Matrizes de Origens Africanas”. O mês é marcado pelo dia 13 de maio, data que simboliza a abolição da escravatura. A vivência negra na sociedade atual foi colocada em pauta e um dos aspectos trabalhados é a importância de se manter viva as religiões africanas no Brasil.

A Uniube também recebe a exposição fotográfica 100%AFRO, da fotógrafa e assessora de comunicação da FCU, Ruth Gobbo. 100%AFRO é uma mostra realizada pela Fundação Cultural, que resgata a vida das tribos que habitam o Vale do Omo no sudeste da Etiópia. A beleza dos fotografados traz à tona a cultura e faz uma ponte entre a África e a herança dela no nosso país.

Publicidade

Anuncie