Escolas municipais do campo recebem palestras sobre incêndios florestais

Fotos Divulgação Bombeiros

Equipe do Corpo de Bombeiros Militar realiza atividades nas oito escolas do campo, atingindo cerca de mil alunos

As queimadas são um problema ambiental muito comum nesta época do ano e de consequências drásticas. Por isso, uma parceria entre a Prefeitura de Uberaba, por meio da Secretaria de Educação e o Corpo de Bombeiros Militar promove em oito escolas municipais do campo, palestras sobre educação ambiental, em relação à incêndios ambientais. Nesta quinta, a partir das 8h, as equipes visitarão as escolas municipais Totonhode Morais e José Marcus Cherém para conscientizar o maior número de pessoas sobre assunto. Durante toda a semana, participam da atividade cerca de mil alunos da rede municipal, dentre eles, os Agentes de Meio Ambiente.

O comandante do Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Uberaba, Ten. Coronel Anderson Passos, conta que devido às ocorrências frequentes de queimadas, a equipe elaborou um projeto e buscou a parceria de vários segmentos para a multiplicação do trabalho de combate. Neste primeiro momento, as escolas do campo são o foco, pois são regiões onde acontecem o maior número de casos. “Fizemos um mapeamento e estamos percorrendo as regiões mais afetadas, com o objetivo de, aos poucos, conscientizar as pessoas, pois 99% das causas de incêndios florestais, acontece pela ação humana”, enfatiza.

Ele explica por “incêndios florestais”, qualquer tipo de queimadas (matas, terrenos baldios, lixos, etc). “Não adianta termos mil homens trabalhando no combate e termos mil e um homens ateando fogo na vegetação. É preciso se conscientizar de que não é um mero acidente, mas uma ação humana que precisa ser combatida”, diz.

As ocorrências são de diversas origens: jogar restos de cigarro jogados ainda acesos, atear fogo em terrenos baldios e lixos e ações de vandalismo. As queimadas são responsáveis por danos sérios à fauna e flora e à saúde das pessoas, além de poder causar acidentes com rede elétrica ou nas rodovias onde o fogo atrapalha a visão dos motoristas. Por isso, a intenção é trabalhar com crianças e adolescentes, que serão, automaticamente, multiplicadores de informações e “fiscais” dentro da comunidade em que vivem.

Depois de aprender muito, a aluna Escola Municipal Celina Soares de Paiva, Ana Camile dos Santos, do 8º ano, disse: “Fizemos um compromisso de passar tudo aos nossos pais” e descobriu, durante a palestra, que a nossa região é considerada a maior produtora de cana-de-açúcar, portanto, uma área muito propícia a diagnosticar incêndios nas plantações, que não são estimuladas pelas usinas.

A parceria, de acordo com Gleicemar Barcelos, chefe do departamento de Projetos Especiais da Secretaria Municipal de Educação, tem foco no aprendizado intercalado com a realidade dos alunos do campo. Para ela, os estudantes vivenciam esse cenário frequentemente e têm, com essa atividade, a oportunidade de conhecer e multiplicar as ações de cidadania. “Precisamos mostrar aos nossos alunos como eles podem colaborar, mesmo com pequenos atos, que mais tarde se transformam em grandes resultados”, completa.

Passos lembra que essa atividade foi incluída no planejamento anual da corporação e será realizada ciclicamente, com os diversos segmentos diretamente ligados às ocorrências de incêndios florestais.

Publicidade