Coluna Túlio Reis

Marco Túlio Oliveira Reis – mtoreis@hotmail.com

Entrevista
Depois de uma ano preso, Lula concede, direto do cárcere em Curitiba, sua primeira entrevista. Os jornais Folha de São Paulo e o internacional El Paiz foram recebidos pelo ex-presidente. Ainda que a TV brasileira tenha evitado repercutir a entrevista, Lula, a imprensa do mundo todo comentou o fato. Para acessar a entrevista completa: https://pt.org.br/leia-a-integra-da-entrevista-concedida-por-lula-a-folha-e-ao-el-pais/

Cachaceiro
Alvo de críticas de Lula, Bolsonaro não se conteve e respondeu ao ex-presidente que afirmou em entrevista “que o Brasil é governado atualmente por um bando de malucos. Bolsonaro considerou um erro da Justiça a autorização para a entrevista e rebateu o petista dizendo “Bem, pelo menos não é um bando de cachaceiros, né?”.

Aqui não!
Depois de mais uma desastrosa e misógina declaração de Bolsonaro, que fez apologia ao turismo sexual, o estado do Maranhão rebateu, através de uma publicidade na internet o disparate do presidente. “O Maranhão está à disposição dos turistas. A mulher maranhense, não!”. O próprio Flávio Dino, governador do estado, quem orientou a peça publicitária.

Fakenews
Nesses tempos de internet e mídias sociais muita informação circula em velocidade alucinante. Todavia, nem sempre as fontes são checadas e muita desinformação vem embutida nas postagens. Fenômeno mundial, não é privilégio nosso. Todavia, isso me faz lembrar da contadora de história de Monteiro Lobato.

Tia Nastácia
“Por causa do analfabetismo. Como não sabem ler, só entra na cabeça dos homens do povo o que os outros contam – e os outros só contam o que ouviram. A coisa vem assim num rosário de pais a filhos. Só quem sabe ler, e lê bons livros, é que se põe de acordo com os progressos que as ciências trouxeram ao mundo.”

Ponte Preta
Os mais jovens talvez nunca tenham ouvido falar, mas havia em um tempo longínquo, havia vida inteligente na grande imprensa. Não se professava o pensamento único e a criatividade era exposta nas páginas enriquecidas dos grandes jornais e revistas. Um autor excepcional, de uma sagacidade e humor refinados era o Sérgio Porto – dito Stanislaw Ponte Preta. Uma de suas grandes criações foi o FEBEAPÁ.

Febeapá*
FEBEAPÁ - Festival de Besteiras que Assola o País tinha como característica simular as notas jornalísticas, parecendo noticiário sério. Era uma forma de criticar a repressão militar já presente nos primeiros Atos Institucionais (que tinham a sugestiva sigla de AI). Um deles noticiou a decisão da ditadura militar de mandar prender o autor grego Sófocles, que morreu há séculos, por causa do conteúdo subversivo de uma peça encenada na ocasião. *texto da Wikipédia.

Infinitude

Pois bem, enquanto Satanislaw Ponte Preta brincava e fazia humor com os fatos, o atual presidente brinca a cara da gente e faz humor com o cargo – que se ele não sabe, não é de humorista, e sim de presidente da República. Essa semana que passou foi recheadas de besteiras e palhaçadas. E viva o Brasil e seus milicianos!

Memórias
O Sindicato dos Bancários recebe, dia 10 de maio, a partir das 19h José Dirceu, que vem à Uberaba lançar seu último livro “Zé Dirceu - Memórias Volume I”. Nesse primeiro volume o autor aborda os bastidores de sua militância estudantil, o exílio, treinamento de guerrilha em Cuba entre outros temas, inclusive sobre a cirurgia facial que fez, para sobreviver à caça a que foi submetido pela ditadura militar.

Lucchesi
Muitos perguntaram sobre o painel que publiquei no Facebook dias atrás. A obra foi pintada na parede do restaurante “O Passo Pizzajazz” em Ouro Preto, pelo artista plástico Fernando Lucchesi. O artista, de renome internacional nasceu em Belo Horizonte em 1955 e sempre transitou por Ouro Preto.  Em 1990, durante a Semana Santa, realizou uma exposição ao ar livre, cobrindo com banners as fachadas das casas coloniais. Para conhecer um pouco mais: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10791/fernando-lucchesi

Encurralados na ponte
Encurralados na ponte: o massacre dos garimpeiros de Serra Pelada é o título do novo livro do jornalista e escritor Paulo Roberto Ferreira. Encurralados na ponte revisita um fato histórico ocorrido mais de trinta anos atrás. Porém, revela-se totalmente atual, ao expor os conflitos gerados pelos grandes projetos de exploração de minérios e das demais commodities na Amazônia.

Autor
Paulo Roberto Ferreira – Mestre em Ciências da Educação. Trabalhou como repórter, redator e editor de jornais e revistas, com passagem pela imprensa alternativa (Bandeira 3 e Resistência). Foi repórter, apresentador e diretor de TV e Secretário de Comunicação Social. É autor dos artigos acadêmicos "Mais de 180 anos de história da imprensa na Amazônia" e "Após o regatão, o rádio e a televisão". Participou da coletânea Recortes da Mídia Alternativa, com o artigo Tempos de Resistência, e é autor do livro A censura no Pará – A mordaça a partir de 1964, além de coautor do livro O homem que tentou domar o Amazonas.

*Marco Túlio Oliveira Reis é advogado OAB/MG n.º 60.364 e jornalista Registro Profissional n.º 16.609/MG.

Publicidade

Anuncie