Coluna Túlio Reis

Marco Túlio Oliveira Reis – mtoreis@hotmail.com

 

Justiça seletiva

Também não gosto do Temer (MDB), e como cada um de vocês, também quero vê-lo pagar por seus crimes, contudo, não acredito ser legítima a prisão de um ex-presidente (ainda que ilegítimo) sem observância de um devido processo legal, contraditório, ampla defesa e um julgamento tecnicamente justo. A “justiça seletiva” em nada contribui para a fortalecimento das instituições democráticas e republicanas.

Ratos e baratas

Ratos, baratas, escorpiões e outros bichos roubaram a cena na cidade de Uberaba no início dessa semana. O empresário Celso Borges, passando casualmente pelas imediações do Mercado Municipal, flagrou infestação da bicharada em suposto vazamento de esgoto na lateral do prédio. Filmou tudo e postou nas redes sociais. Alvoroço formado, autoridades municipais e comerciantes, imediatamente vieram justificar e taxar Celso de demagogo e oportunista, as imagens desautorizam essa afirmação.

Políticas públicas

Não entendo de ratos, baratas e congêneres, não posso tecer juízo de valor. Mas imagens dizem mais que mil palavras. Se os bichinhos restringem seus passeios apenas do lado de fora do estabelecimento, conforme foi informado, não há motivos para alarde, todavia, dou-me o direito à dúvida e suplico, pelo bem da saúde dos consumidores e economia dos comerciantes, que uma ação efetiva aconteça em benefício do Mercado Municipal.

Lentidão

Não sou dos que professam a tese do “quanto pior melhor”, mas fato é que esse governo só age quando é provocado, e olha que de maneira lenta e sem vontade. À exemplo a lambança das obras do calçadão, que insisto em chamar de parque Aquático Artur Machado. Impossível não se incomodar com tamanho descaso e incompetência. Creio que, a depender da prefeitura, os problemas só vão cessar com o fim do período das chuvas.

Abandono

Falando em descaso, os equipamentos públicos de acessibilidade, artefatos que enchiam de orgulho os uberabenses face ao compromisso da cidade com a mobilidade urbana e inclusão de pessoas com necessidades especiais e cidadania, estão totalmente abandonados. Inúmeras rampas de acesso para cadeirantes tomadas pelo mato e buracos, totalmente intransitáveis.

Mobilidade

A tecnologia singela que possibilita aos deficientes visuais uma travessia segura, através de semáforos com sinais sonoros, é raridade em Uberaba. Apenas no cruzamento da Leopoldino de Oliveira com a Rua Artur Machado existe equipamento em funcionamento. Sequer em frente ao tradicional Institutos dos Cegos semáforo sonoro foi instalado.

Cidadania

É a cidadania também sendo deixada de lado na cidade. Enquanto isso, diversas escolas, inclusive particulares tradicionais, inserem em suas rotinas o “momento cívico”, onde a criançada é obrigada a cantar o hino nacional sem ao menos saber o significado de seus versos. Tem lógica, já que as escolas produzem “analfabetos funcionais”, a moda agora é produzir também “cidadãos funcionais” – conhecem o hino imperial, todavia ignoram seu significado, o civismo e a cidadania. 

Sugestão

Sugiro às escolas que, antes de obrigarem seus alunos à cantoria do hino nacional brasileiro, ensinassem o significado e importância do hino, o que é soberania, civismo e cidadania. Igualmente o que é Estado, Território, povo, República e seus poderes, Democracia e Pátria. Deve também revelar seus principais atores e mártires. E por fim, ensinar professores e educandos o significado dos rebuscados termos utilizados nos versos da verdadeira obra prima que é a poesia de Joaquim Osório Duque Estrada sobre música de Francisco Manuel da Silva.

Glossário

Plácidas = serenas, tranquilas, suaves; brado = grito, voz propagada de modo forte e intenso; retumbante = impactante, muito alto, explosivo, bombástico; fúlgidos = brilhante, cintilante, resplandecente; penhor = promessa, empenho, garantia, segurança; vívido = força, vigor, intenso, brilhante; resplandece = brilha intensamente, reluzente; impávido = inabalável, corajoso, destemido, intrépido; colosso = poderoso, de proporções gigantescas, descomunal.

Glossário II

Esplêndido = reluzente, pomposo, maravilhoso; fulguras = resplandece, propaga luz, irradia; florão = preciosidade, joia; garrida = enfeitada, exuberante, adornada, elegante, graciosa; idolatrada = excessivamente amada, adorada, alvo de veneração, respeito; lábaro = bandeira, estandarte; ostentas = exibir com orgulho e vangloria, mostrar com afeto e carinho; clava = arma rudimentar feita de madeira, sendo uma de suas extremidades mais volumosa, muito utilizada como arma de ataque ou de defesa.

Não Talkei

 

Será em 10 de abril o lançamento do livro “Não Talkei – 100 dias de desgoverno de vocês sabem quem!” do chargista e designer gráfico Rômulo Garcias. Será às 18h:30min na ASA DE PAPEL – Café & Arte, na Rua Piauí, n.º 631, Santa Efigênia, Belo Horizonte. Como indicado no título, o livro é uma coleção de charges muito bem humoradas, onde o criativo autor “homenageia” os 100 dias do Coiso à frente da República.

Dandô

O Dandô – circuito de Música Dércio Marques, recebe em Uberaba dia 28 de março Katya Teixeira. O evento acontece no Laboratório 96, na Praça Comendador Quintino, n.º 144, a partir das 19h40min e terá como anfitriões Elisa Carvalho e Antônio Carlos Campos. Katya é Cantora, instrumentista e compositora, pesquisadora da cultura popular brasileira e traz em seu trabalho musical o resultado de suas andanças pelo Brasil.

 

*Marco Túlio Oliveira Reis é advogado OAB/MG n.º 60.364; jornalista Registro Profissional n.º 16.609/MG.

 

Publicidade

Anuncie