Coluna Mozart Jr. sem censura

Palavras
“Mas a política tem se resumido a isso. Soco da esquerda, gancho da direita, e o povo apanhando no meio.”
Matheus Horacio

 

Fervura
O clima anda quente por causa das eleições, com a aproximação da hora da verdade os ânimos andam pra lá de exaltados, os grupos de WhatsApp que o digam... Terreno fértil das fake news, os grupos tem congestionado os celulares de muita gente.

 

Escolhas
O que era pra ser democrático, como a escolha do candidato que você considera que melhor te representa, passou a ser motivo para ataques verbais e em alguns casos até para além disso.

 

Estratégia
Ao perceber que o antes inofensivo Romeu Zema acabou sendo o depositário da esperança da maioria dos mineiros que querem despedir os políticos da velha guarda, em especial os do PT e PSDB que por tantos anos estiveram nos holofotes da política no país, o grupo do PSDB que foi para o segundo turno, demorou a assimilar o golpe e parece que ainda não decidiu a estratégia certa a usar para enfrentar o “novo”, sem trocadilho com o partido de Zema.

 

Fake news

Muito tem se investido nas fake news, parece que pensaram assim, sempre deu certo com o PT e agora Bolsonaro, dará certo com a gente também. Para isso, colocaram um exército disparando as histórias, algumas até sórdidas, pelo WhatsApp, exército esse aliás, que é composto por muita gente que é funcionário público, ou seja, estão tendo um “desvio de função” para ficar o dia todo nas redes sociais, e além desses, alguns puxa saco de sempre.

 

Erro
A meu ver parece que essa estratégia é errada, já que do outro lado tem uma estrutura já sabedora disso e startando desmentidos à mesma velocidade. Seria mais produtivo terem usado o confronto das ideias, dos programas, das propostas, mas... A verdade é que por mais que esse exército tente desvincular a imagem de Anastasia de Aécio e tudo que o envolve, fica difícil, afinal foram quantos anos lado a lado?  O uso do deputado Sargento Rodrigues, que fez história como aliado do PSDB, só aumenta a percepção da proximidade que Anastasia tanto quer negar, ele acaba sendo ainda, para o eleitor, o candidato do Aécio...

 

Reverter
A pergunta que fica é: será que dará tempo de mudar o rumo da campanha e investir no certo? O povo não quer velhas práticas, o recado das urnas foi muito claro, basta ver quantos ex- poderosos não foram reeleitos, o próprio Aécio que até outro dia era um dos expoentes da política nacional, “se escondeu no cargo de deputado federal” se rebaixando, já que era senador, para manter o foro privilegiado.

 

Não é igual
Anastasia nunca se pareceu com essa turma e não parece partir dele esse tipo de ataque, mas as escolhas do pessoal a frente da sua campanha tem jogado sua imagem na vala comum. Talvez se ele usasse apenas o discurso propositivo e dentro dele mostrasse que tem mais condições de administrar o estado com respostas diretas e com fatos, tivesse tido maior sorte.

 

Clima ruim
Fontes da Coluna garantem que o clima, lá pelos lados da campanha tucana, aqui não era bom. Certo descontentamento era demonstrado com o fato de o grupo de BH ter “esquecido” o pessoal de cá em matéria de recursos. Essa fonte inclusive me disse da preocupação com um comentário, se na campanha já deixaram a gente de lado, imagina se eleito...

 

Desânimo
Segundo fonte da coluna, em Belo Horizonte, o clima entre o pessoal do candidato do PSDB já é de fim de festa, todo mundo cansado e desanimado, segundo essa fonte,  a turma acha que não há tempo para reverter a situação, mas em política tudo pode acontecer.

 

Por aqui
Se por lá o sentimento é de desanimo, por aqui, segundo fontes da coluna, é de desespero já em algumas secretarias da prefeitura, o que tem de gente com medo de perder o cargo... E parece que o prefeito já acenou com a demissão de muito apadrinhado por ali.

 

CMU
Como eu havia antecipado aqui há muito tempo, o vereador Almir Silva estava sim armando o bote para cima de Ismar Marão que até então era tido como o próximo presidente da CMU. Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos...

 

Discurso
O discurso petista na campanha presidencial de que “quer voltar para consertar o Brasil” seria cômico se não fosse trágico. Os caras estiveram no poder nos últimos 14 anos e agora querem  consertar o que eles mesmo estragaram. A coisa é tão ruim que conseguiram dar a vitória a Jair Bolsonaro, que em matéria de ideias, se assemelha muito a uma Dilma de calças, quando abre a boca... Mas o povo não está votando nele porque ele é melhor, está votando contra o PT, contra Lula e seu plano de se perpetuar no poder e, além disso, o PT  foi devidamente demonizado em uma campanha que, hoje a própria justiça reconhece, quase que toda de fake news. Na verdade, o PT é apenas mais um dos tantos partidos cheios de corrupção deste país, não salva nenhum dos velhos grupos políticos do país.

 

Inferno astral
Após matéria de capa de jornal da cidade nada favorável a sua imagem, o vice-presidente  da Cohagra parece que está em um inferno astral. Segundo fontes da coluna, está previsto um leilão por conta de causas trabalhistas envolvendo o jornal de Uberaba em dezembro.

Publicidade

Anuncie