Chegando a hora da onça beber água - Mozart Jr

Amanhã acontece a grande festa da democracia, é dia de ir as urnas e decidir o futuro desse país, a expectativa é a maior da história, nunca se viu um povo tão engajado quanto nessa eleição.

Apesar de o brasileiro ainda encarar política como futebol e ter transformado a eleição em um Flax Flu gigante, uma batalha do bem contra o mal, dos guerreiros de Grayskul contra o maligno Esqueleto.

Agora não da tempo para mais nada, as decisões já estão tomadas, acredito que a eleição se resolve neste domingo no caso do planalto, já no Estado creio que teremos um segundo turno, posso me enganar, mas...

Quem saiu ganhando com o jogo da polarização entre PT e o resto, alem de Bolsonaro que foi o único identificado como realmente a “personalização” do antipetismo, o He Man que combaterá o mal em cima de seu gato guerreiro?

Com certeza foram os parlamentares que estão loucos para se reelegerem e ficarem  protegidos pelo foro privilegiado. A renovação no congresso deverá ser pequena.

Vejo eleitores de Bolsonaro, bem intencionados, que acreditam que ele terá o poder de chegar em Brasília e mudar aquilo tudo que está estabelecido lá brandindo uma espada, comemorando apoio do centrão... Pergunto-me; será que sabem o que significa esse apoio?

Sei que muita gente vai me xingar, mas confesso que independente do resultado dessa eleição, fica uma questão negativa muito perigosa e que pode sim vir a por nossa jovem democracia em risco, caso não seja feita alguma coisa para se mudar esse cenário.

É sabido de todos e principalmente dos políticos profissionais, que o brasileiro não tem o habito da leitura e em matéria de noticia então... Cerca de 60%  Leem  apenas a manchete e o enunciado e dali saem tirando suas conclusões.

Pensando nisso, muito se investiu nas fake news e isso será determinante nessa eleição. Muita gente dirá, “mas foi por uma boa causa,” aí eu pergunto; e quando for usada para o contrário?

O problema não está no efeito e sim na causa e a causa é a falta de cultura, falta de capacidade de discernimento da grande massa brasileira o que a torna presa fácil de populistas que se alternam no poder.  

Por aqui, enquanto pregam o voto contra as mazelas da corrupção e contra os desonestos petistas, candidatos usam e abusam de recursos como assessores de vereadores fazendo campanha o dia todo para candidatos a deputado, pessoas pagas com o dinheiro do contribuinte utilizando o seu tempo para tentar eleger “parceiros” de seus chefes ou em alguns casos até os próprios... É o sistema.

As apostas seguem altas para se saber quem vai na esfera estadual e federal, eu tenho meus palpites, e vou correr o risco de ser achincalhado depois, mas creio que o maior risco para Uberaba é na esfera estadual, ali o risco é maior e a vaidade de alguns pode pulverizar os votos e atrapalhar quem tem chance real. Acredito que Tony Carlos, Lerin e Grilo seriam os candidatos com mais chance no momento, mas se mantendo a atual conjuntura, passam a correr riscos. Na esfera federal estamos mais tranquilos temos nomes que tem sua candidatura consolidada não só aqui, mas em várias regiões.

O maior absurdo dessa eleição foi ver vereadores de Uberaba trabalhando para candidatos de fora, é certo que alguns aventureiros fisgarão alguns votos por aqui, como é o caso do rapaz sensacionalista de Ituiutaba.  Mas vereador dizer que apoia gente de outro lugar porque “aqui” no seu partido não tem ninguém com estofo moral para ser apoiado é pra acabar com os pequis de Goiás.

Tomara que o povo não se esqueça disso quando chegar a eleição por aqui.

A esperança que fica, é que após o pleito desse domingo, possamos todos a voltar a ter paz, que acabem as divisões que tem separado amigos, famílias em nome de candidatos que com certeza, passado o pleito, seja qual for o resultado, discutirão os temas pertinentes a nós todos, tomando um bom scotch, longe do teatro das rivalidades políticas...

 

 

 

 

Publicidade

Anuncie