Casas retomadas por irregularidades são repassadas a famílias carentes

Novos mutuários se enquadraram no PMCMV

Três famílias receberam na manhã desta quinta-feira (10), das mãos do prefeito Paulo Piau e do presidente da Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra) Marcos Jammal, as chaves das suas casas. Os imóveis (no Marajó, Pacaembu e Copacabana) são fruto de retomada de mutuários que se encontravam em situação irregular dentro do Programa Minha Casa, Minha Vida. Eles foram desclassificados e os imóveis redirecionados às novas famílias beneficiadas.

Os novos mutuários se encontravam em situação de prioridade, que são as situações mais extremas, incluindo risco de saúde e vulnerabilidade. Eles também já estavam na lista de requerentes pela Companhia, alguns há quase dez anos, e atendiam as exigências do Programa.

“As três famílias atenderam aos critérios de avaliação. Pudemos fazer justiça dentro dos princípios da Justiça. Infelizmente, não podemos prever que situações tão graves como essas que culminaram na retomada dos imóveis poderiam acontecer. Por isso, continuaremos com o nosso trabalho de fiscalização e de denúncias ao Ministério Público Federal, com o apoio da Policia Federal, a fim de evitar injustiças. Quem merece será contemplado”, destaca Jammal.

Boas marcas. O prefeito Paulo Piau destacou o trabalho de fiscalização que vem sendo feito pela Cohagra e os índices positivos em relação as retomadas e contemplação a mutuários que se enquadram no MCMV e realmente necessitam de moradia. “Uberaba é feita de boas marcas. A nossa educação hoje é muito bem assistida, temos excelentes índices dentro do Ministério da Educação. Nossa saúde também apresenta excelentes números em relação ao País. Nosso saneamento básico está entre os melhores do Brasil. Assim, mesmo com tanto entraves estamos numa situação confortável e isso é reflexo da eficiência de gestão”, diz Piau.

Segundo o prefeito as retomadas são legais e justas. “Essas famílias aguardavam há tanto tempo sua oportunidade, tudo com contrato junto a Caixa Econômica Federal, seguindo os critérios e a Justiça acompanhando e contribuindo para este excelente trabalho”, destaca.

O presidente da Cohagra, Marcos Jammal reforçou que os contemplados atenderam aos critérios da Caixa Federal, como documentação e perfil socioeconômico.

Disque Denúncia – Jammal lembra que o disque denúncia continua ativo para quem tiver conhecimento de irregularidades em casas do Minha Casa, Minha Vida. O canal via WhatsApp é exclusivo para que os moradores possam ajudar a equipe de fiscalização da Cohagra.

Pelo (34) 99873-9555 podem ser relatadas situações como venda ilegal, locação ou mesmo abandono dos imóveis adquiridos pelos mutuários. “A Cohagra acompanhará o canal diariamente e encaminhará as demandas para fiscalização e investigação junto à Polícia Federal”, explica Jammal.

Em novembro de 2018 foram protocoladas denúncias junto a Polícia Federal de pessoas que venderam casas recebidas pelo financiamento do PMCMV. Todas as irregularidades identificadas foram encaminhadas para a PF. Os maiores problemas identificados foram nos bairros Girassóis II e Pacaembu.

Publicidade